segunda-feira, 18 de abril de 2011

Por que eu tenho um blog?


A Vanessa do Fio de Ariadne, um dos blogs que sigo a trocentos anos, reeditou uma proposta de blogagem coletiva e com isso me fez relembrar uma vontade antiga, a de registrar aqui o caminho que me fez virar blogueira. Já que estou vivendo uma temporada de grandes, enormes, mudanças, talvez faça bem balançar os motivos que me trouxeram a blogosfera, a Internet e registrar eles aqui, antes que eu me esqueça, antes que eu deixe para amanhã... antes que tudo isso vire evasão.

Bem, o inicio da escrita desse blog foi o ponto quase final de um processo de recuperação de uma boa, excelente fossa... e eu vou explicar do começo, logo se você chegou nesse blog agora e inventou de  ver  logo esse post, mas não tá com paciência para ler um quilometro de texto, é melhor deixar pra me conhecer outro dia...

Foi assim:

Quando eu tinha uns 17 anos (não faz tanto tempo assim já que agora tenho 24), eu me vi apaixonadinha. Bem o rapaz era (é ainda) um tipo devagar quase parando e eu demorei uns bons anos para conseguir o feito de emplacar um namoro, mas conseguido o namoro, tudo não correu bem... Eu me descobri em uma relação ruim e tinha (tenho) a solida impressão que tudo era culpa minha, me sentia mal e má, tudo dava errado e parecia que tudo era culpa minha (talvez tenha sido mesmo), logo o namoro acabou depois de nove meses e eu fiquei com um sorriso padrão no rosto e uma tristeza enorme na alma... Fui incompetente na arte de cativar a pessoa por quem eu nutria uma paixão antiga e me sentia má pessoa, má cristã, má mulher, uma Pandora que abriu uma caixa de coisas erradas e prejudicou alguém que lhe era muito querido.

Foi uma fase triste de ruim e foi bem ai que painho comprou um pc pq eu estava no inicio do meu curso universitário e precisava mesmo dele, para completar o quadro eu tinha um aluno que vivia em uma lan hause, tanto que quando eu fazia chamada os outros diziam em vez de "faltou", "lan hause"... Me perguntei o que essa criatura fazia na lan e obtive satisfatória resposta: "ele era um orgulhoso usuário de jogos em rede!". Como eu havia acabado de me tornar uma pessoa digitalizada fui descobrir que diabos era isso e assumir pela primeira vez minha identidade de Pandora.


A escolha do nome não foi por acaso, foi muito bem pensada e é por causa dessa personagem que o link do blog é http://elfpandora.blogspot.com. Eu não me sinto uma elfa, estou bem distante desse ideal de beleza, mas essa fase foi importante. Os meninos com os quais passei a jogar me ensinaram a usar a net, orkut, msn, youtube, conhecimentos gerais... tudo data dessa época.  A experiência do jogo em rede foi óptima, fiz bons amigos, me divertir e coloquei para fora todo o meu instinto assassino.

O meu amigo virtual mais antigo data dessa época, ele e as crianças da creche me ajudaram muito em todo o processo de continuar a viver mesmo com dor de cutuvelo e de entender certas coisas que servem para toda vida, tanto que na minha monografia tem um paragrafo inteiro dedicado a ele. Vivemos muitas aventuras virtuais juntos e através desses anos conservamos nossa camaradagem gostosa, por causa dele e da durabilidade de nosso relacionamento virtual é que eu digo que acredito em amizades virtuais duradouras e honestas.

O jogo e a experiencia de ter um amigo virtual abriram um leque novas possiblidades, descobri  o Yahoo Perguntas e Respostas, outra proposta virtual que amo de coração, essa dinâmica de perguntar e responder sem precisar necessariamente mostrar a cara me soou muito convidativa...

Uma vez disse que comecei no Yahoo porque as pessoas já estavam saturadas de mim,  hoje  me pergunto se não era eu que estava cansada de falar com as pessoas e de ouvir apenas o eco de minha própria voz, acho que precisava de novos tipos de dialogo, um tipo em que eu não fosse culpabilizada por ser do jeito que sou de preferencia.

Foi no Yahoo que adquirir coragem para postar minhas ideias, ousadia de falar na net, lá me misturei pela primeira vez as pessoas que vivem uma experiência virtual mais profunda, que passei a sentir vontade de registrar de forma mais fixa as coisas que eu gostava e comecei a considerar com mais afecto colocar meu blog em dia, usar esse espaço, postar realmente, escrever o que penso.

Enfim, tenho um blog por motivos diversos: é algo que faço primeiro para mim, porque eu preciso escrever, porque se não escrever eu surto, porque preciso trabalhar essa ideia de me senti uma pessoa má, porque preciso aceitar o que sou, porque é um bom exercício, pq de repente encontrei pessoas legais na blogosfera, porque esse é meu diario de bordo nesse planeta girante coberto de água que a gente chama de Terra, porque dias melhores vieram, porque alguém me disse que o pior escritor é o que sabe escrever e não escreve e isso mecheu com meu orgulho de muitas formas, porque gosto de ler os blogs dos outros e por fim, sinto que esse espaço reflecte bem o que sou e o que não sou, ele tem minha cara e talvez no final da contas eu tenha um blog porque foi o meio mais eficiente que encontrei de superar uma baita dor de cutuvelo e sair de uma droga de uma fossa emocional que parecia não acabar nunca.

18 comentários:

  1. Oba, que bom que topou falar dos motivos que levaram vc a criar seu blog. E blog bom é isso mesmo, tem história pra contar e tem a cara do dono :-).

    Bjs e muito obrigada, estou colocando na lista.

    ResponderExcluir
  2. Adorei conhecer a sua história de como começou a blogar. Que dor de cotovelo mais criativa. Espero que tenha passado e continue com este cantinho tão delicioso. Beijo

    ResponderExcluir
  3. Você é ótima escritora e se explicou direitinho, rs
    Da onde você tirou que é uma menina má? Todo mundo, inclusive eu e você, temos indecisões, quetionamentos e não estamos prontos, aliás se ficarmos prontos morremos.
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  4. Acrescento mais uma, Pandora: com esse talento todo para a escrita, se você não tivesse um espaço assim, público, seria um desperdício e uma lacuna enorme para nós que gostamos de uma boa literatura e de umas relações onde a permanência supere a efemeridade das navegações virtuais que encontramos em algumas comunidades nada comunitárias.rsrs. Excelente o seu texto. Meu abraço. paz e bem.

    ResponderExcluir
  5. Acho que todos nós blogueiros somos movidos por essa vontade de se expressar, de colocar pra fora tudo isso que está na nossa mente, todo o resto vem como consequência.

    Muitas vezes tenho vontade de parar com meu blog, mas me sinto tendo que parar com a única forma de terapia mental que faço... rs... Então desisto rapidinho e continuo... rs

    Beijocas

    ResponderExcluir
  6. Pelo menos tu sabes porquê...Já eu...lol Em descoberta...lol

    ResponderExcluir
  7. Hoje, estando no início da Semana Santa, o meu desejo de paz e alegria é para vc... bem como uma chuva de:

    Orvalho do Céu (uma “Chuva de Néctar da Verdade”... ou de Palavras de Deus)...

    Estarei oferecendo um Retiro em meu Blog durante toda semana, passo para convidar e aguardar a sua visita...
    Preparei tudo com todo o meu carinho fraternal... Espero que lhe seja útil!!!
    É exatamente isso que lhe digo nesse tempo que estamos entrando:
    Uma Abençoada Semana Santa e uma Páscoa extremamente feliz!!!
    Bjs de paz e achocolatados desde já pois estarei também em Retiro Espiritual.


    http://espiritual-idade.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Pandorinha linda , viver é se reinventar dia a dia.
    Ter a coragem de desnudar sua alma é um passo importante e exige uma coragem que muitos não tem.
    Parabéns por sua bravura!
    Mil beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi Pandorinha, que bom saber de toda a sua experiência na internet até aqui.
    Muito interessante.
    Um dia desses faço o mesmo. Gostei.
    Beijo na alma.
    Angel.

    ResponderExcluir
  10. Ainda bem que temos essa vontade de comunicar..
    Maravilha seu blog.

    ResponderExcluir
  11. Pandora

    Amiga que bom conhecer mais um pouco da sua história e acho que temos algo em comum porque eu comecei um blog para tentar sair de uma tremenda depressão.

    Sempre encontramos amigos que nos incentivam , ensinam , nos abrem as portas para um novo mundo.

    Adorei sua participação

    Cheguei aqui e fiquei sabendo da Coletiva. Ando na correria e não tenho visitado meus amigos com frequencia, mas me aguardem que vou preparar.

    Já deixei um aviso no Fio de Ariadne.

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Seja bem-vinda!!!
    Perfeito seu post. Vc é uma excelente escritora e eu gostei muito de te conhecer.
    Que bom que vc gostou das reciclagens com caxas de sucrilhos. EU também não gosto daqueles trequinhos rs, mas em casa meu filho adora!
    Beijos e uma Feliz Páscoa:)

    ResponderExcluir
  13. Ja' vinha aqui, ne'? Mas conhecer a historia do por que foi bem legal? Espero que essa historia do garoto tenha ficado pra tras mesmo... sabes? nao vale a pena... (ai, ja' ia dar conselho! Socorro!)... mas acho que a vida anda... a fila anda! kkkk!
    Bjka!

    ResponderExcluir
  14. Oi Pandora, acho que a atividade de ser blogueira esta desempregando muito psicólogo rsrsrs.
    É incrível o quanto escrever e compartilhar experiências faz bem a alma.
    Quanto a ser uma menina má, eu namorei por 4 anos, achei que iria me casar e de repente chutei o balde. Meu ex quase pirou e até hoje não sei se ele superou o que fiz.
    Mas não me sinto má por isso, claro que foi horrível destruir as esperanças de uma pessoa e ele soube bem como me fazer sentir culpada.
    Só que eu me recuso a ser tratada como vilã e espero que ele tenha reconstruído a vida, assim como eu fiz com a minha.
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Pandora, que bom que no final das contas o fim do relacionamento te trouxe algo bom: o seu blog! Sempre passo por aqui, mesmo que eu não comente. Adoro suas idéias e espero que vc continue postando por muitos anos!!!!

    Bjs, Mi

    ResponderExcluir
  16. a minha trajetória na net é parecida!!!^^
    Bj...Fim Legal!!!

    ResponderExcluir
  17. Muito bom saber de como tudo aconteceu para desembocar no blog.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir