sábado, 19 de março de 2011

Recife, um livro e um sorteio!

Março foi o mês de aniversário do Recife, o dia passou e não fiz uma postagem porque sou adepta dos versos de Drummond onde ele diz:

"São mitos de calendário
tanto o ontem como o agora
e o teu aniversário
é um nascer a toda hora."

Então deixei o dia do aniversário passar para falar do meu amor por essa cidade cheia de dicotomias, calor, riqueza, miséria, História, pessoas que amo, sonhos, ilusões perdidas e tudo o mais. Carlos Pena Filho em seu Guia Pratico da Cidade do Recife escreveu no Inicio que:

"Hoje, serena, flutua,
metade roubada ao mar,
metade à imaginação,
pois é do sonho dos homens
que uma cidade se inventa.
"

Tudo verdade, toda cidade nasce da imaginação dos homens, não apenas Recife, verdade também o que ele escreve no fim do poema:

"Recife, cruel cidade,
águia sangrenta, leão.
Ingrata para os da terra,
boa para os que não são.
Amiga dos que a maltratam,
inimiga dos que não
este é o teu retrato feito
com tintas do teu verão
e desmaiadas lembranças
do tempo em que também eras
noiva da revolução"

Recife é mesmo uma cidade cruel, com a miséria a encher as favelas, desigualdade, altos índices de violências, psicopatia dos policiais, falta de vergonha dos políticos, truculência de alguns prefeitos, obras paradas, homens mendigando o pão, nas palavras de Francisco de Assis França, o Chico Science:


"... a cidade se apresenta centro das ambições
Para mendigos ou ricos e outras armações
Coletivos, automóveis, motos e metrôs
Trabalhadores, patrões, policiais, camelôs
A cidade não pára, a cidade só cresce
O de cima sobe e o de baixo desce..."

Penso eu que é nessas subidas e descidas, nessa brincadeira de sonho, luta, realização, vitória e fracasso, encontros e desencontros entre os  "de cima" e os "de baixo", que a História da cidade é vivida, sentida e constantemente escrita e reescrita.

E que cabe a cada um de nós que aqui nascemos e vivemos nos orgulhar de quão interessante são essas histórias. Como diz o titulo do livro de Lenice Gomes e Hugo Monteiro Ferreira é possivel titular essa urbe quente e problematica como:

"RECIFE: cidade das pontes, dos rios, dos poetas e dos carnavais."


E já que citei o titulo, já vou falando desse livro infantil que de forma bem didática conta a História do Recife desde seu inicio lá no longínquo século XVI, especificamente no dia 12 de Março de 1537, com o nome de "Vila de Ribeiro do Mar dos Arrecifes" onde residia um pequeno grupo de pescadores sem importância nenhuma. Aliás, economicamente importante mesmo eram os riquíssimos moradores de Olinda, a cidade da açucarocracia portuguesa na América, pq sim, naquela época todos os homens livres existentes nessa terra se consideravam muito portugueses, brasileiro era quem carregava pau-brasil.


Ele conta os episódios marcantes de nossa história, a presença holandesa por essas bandas de cá,  a primeira ponte das amaricas, a história de um boi voador de mentirinha, a Guerra dos Mascates, a vida as margens dos rios Capibaribe e Beberibe.

Notem que há a branca, a negra e o indiozinho fazendo o boi!
O século XIX e um tal de processo de modernização que fez nascer espaços como um certo Teatro Santa Isabel, também são citados, assim como as várias revoluções que nasceram sobre nosso chão quente, como a Revolução de 1827, a Praiera e a Confederação do Equador. A presença da escravidão, a chegada do século XX, os nossos poetas, os Carnavais.

Notem negros e negras trabalhando na frente do teatro!


Interior do Teatro: um dos meus fofos da igreja esta ai tocando violino!

No geral eu gostei do livro, ele da conta da história oficial da cidade com uma certa graça e a Tati Moes se inspirou nos grandes artistas que pintaram a cidade em outros tempos e fez um trabalho muito lindo como ilustradora. Da até orgulho de ser recifense!

Ao longo dos últimos três meses eu vi muita gente falando de suas cidades, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Belém do Pará e tantas outras, cada uma tendo um motivo para amar seu espaço, sua cidade, seu lugar. Se bairrismo demais é ignorância, uma pequena dose não faz lá tão mal aos dentes néh!?!? Se orgulhar de sua própria história as vezes faz bem e aqui deixo o meu registro do orgulho que tenho de ser recifense.

___________

Ah, quase esqueci, se você gostou do livro, achou ele interessante, ficou afim de conhecer ele pessoalmente e saber um pouco mais sobre a história de minha cidade eu tenho uma boa noticia pra você:


Eu tenho dois e é só você deixar um comentário aqui que um deles pode ser seu, porque sábado que vem eu vou sortear esse livro entre os que comentarem nesse post \o/

11 comentários:

  1. Temos algo em comum: também não sigo muito datas!
    Gosto de presentear quanto sinto vontade, quando sinto as pessoas. Lindos versos de Drumond, eu não conhecia.
    Quero participar do sorteio.
    paula.amaralanis@hotmail.com

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi
    Já ia perguntar onde comprar o livro, ,mas já que vc vai me dar um, então vou esperar kkkkkkk

    Beijos

    lanecanha@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. Jaci, eu quero o livro! Gosto muito do Recife e quero ainda esse ano ir passear por aí!
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  4. ai, cheguei tarde...
    Jaci, minha filha nasceu em Recife e o português que ela fala é o nosso, mas imagine aqui longe...com o livro ficaria bem melhor, né não?
    Bj

    ResponderExcluir
  5. Olá! Tudo bem com vc?

    Sou contadora de Histórias, e buscando material na internet, cheguei no seu blog.

    Gostei muito do que vc escreve. E nem preciso dizer que seu texto sobre minha cidade linda Recife está maravilhoso.

    Hoje moro em São Paulo e trago comigo a minha raiz nordestina! Gostaria, se possível, detalhes deste livro.

    Obrigada, Elaine Cunha

    ResponderExcluir
  6. Olá! Tudo bem com vc?

    Sou contadora de Histórias, e buscando material na internet, cheguei no seu blog.

    Gostei muito do que vc escreve. E nem preciso dizer que seu texto sobre minha cidade linda Recife está maravilhoso.

    Hoje moro em São Paulo e trago comigo a minha raiz nordestina! Gostaria, se possível, detalhes deste livro.

    Obrigada, Elaine Cunha

    ResponderExcluir
  7. Feliz Dia do Blogueiro!!!
    Tenho um selo para você aqui:
    http://blogsdasoniasilvino.blogspot.com
    Caso já tenha levado, obrigada!
    Deixo um presente:

    Se você é...

    Se você é um vencedor,
    terá alguns falsos amigos
    e alguns amigos verdadeiros.
    Vença assim mesmo.

    Se você é honesto e franco,
    as pessoas podem enganá-lo
    Seja honesto e franco assim mesmo.

    O que você levou anos para construir
    Alguém pode destruir de uma hora para outra.
    Construa assim mesmo.

    Se você tem paz e é feliz,
    As pessoas podem sentir inveja.
    Seja feliz assim mesmo.

    Dê ao mundo o melhor de você,
    mas isso pode nunca ser o bastante.
    Dê o melhor de você assim mesmo.

    Veja você que, no final de tudo
    Será você ... e Deus.

    E não você ... e as pessoas!

    Madre Tereza de Calcutá

    Um lindo domingo para você!!!
    Aguardo a sua participação na Confraria da Soninha:
    quantas vezes você quiser!

    Beijinhos, muitos!
    Sônia Silvino

    ResponderExcluir
  8. Pandora você é mesmo uma pessoa surpreendente.
    Uma homenagem dessas, com tanta categoria, quase não vejo.
    A forma de falar do meu/nosso Recife, faz com que fiquemos cada vez mais curiosos.
    Aplausos.
    Xeros

    ResponderExcluir
  9. menina,já tentei te achar outro dia e o perfil não abria.gostei de seu blog , e vou te seguir.que sorteio lingo, perdi. que pena.
    obrigada pelo carinho...(as flores de tecido)rsrsrs,bjs.

    ResponderExcluir
  10. Pandora
    Minha amiga que post mais gostoso de se lê. Mostra essa História bonita e além do orgulho o amor da recifense que o escreve.

    Como jávirei freguesa não poderia deixar passar em branco a oportunidade de concorrer a um exemplar desse livro que além do seu conteúdo me parece muito bem ilustrado.

    Beijos no seu coração

    ResponderExcluir
  11. Já ganhei... não vai ter pra ninguém.

    Agora eu estive pensando...

    "Jaci da minha família"

    Eu sou intrometida, né... já saí te chamando igual a tua família. rs

    BeijoZzz

    ResponderExcluir