sábado, 25 de junho de 2011

Sobre minha presunção!

Se não fosse crente seria gótica rsrs...
Morte, é um personagens da história em quadrinhos Sandman, bem, essa menina sorridente do cabelo grande e trajes meio gótico, dispensa apresentações néh?! O que falar sobre ela que o nome em si já não diga???

Deixa eu vê??? Que ela surgiu no volume 8 de Sandman, jogou um pão nele e que há quem diga que a partir desse momento Sandman começou a virar essa história incrível que acabou se tornando? Blá... blá... blá... Outras pessoas melhores que eu já falaram isso, é só colocar no Google que se fica sabendo milhares de detalhes... E não foi por isso que eu comecei esse post falando nela.


Eu comecei esse post falando nesse personagem porque a Morte é minha personagem preferida em toda a obra de Gaiman, tenho a impressão de que entre todos os Perpétuos ela é a que  mais está se encontrando com as pessoas, seja na paz ou na guerra, no inverno ou no verão, no começo da história ou no fim dela. O último grande encontro de todas as pessoas é com ela, o último suspiro, lágrima, sorriso, prece ou desejo vão ser compartilhados com essa pequena e, apesar do peso de suas funções, ela permanece firme e sorridente. A Morte é um personagem que conserva um sorriso no rosto e ar de menina travessa, diz o que pensa, não tem medo de nada e eu tenho a leve impressão que ela gosta demais das pessoas.

Eu também gosto de pessoas, gosto de está com pessoas, de conversar com pessoas, ouvir suas histórias,  entender seus caminhos, sorrir com suas graças, chorar com suas tristezas... Ajudar quando possível, conviver, sei lá, eu sou desagradavelmente fã de gente.

Gosto de criança pequena para colocar no braço e sentir aquele cheiro delicioso, aquela pele gostosa, aquela traquinagem saudável misturada a inteligência ou nada disso, porque nenhuma criança é igual a outra e tem criança que é de paz, é de ficar quieta, é de conversar papos existenciais e fazer perguntas que os filósofos, cientistas e teólogos fazem a milênios sem sucesso.


Gosto de papear com pessoas idosas que viveram em outros tempos, que possuem outros saberes, que sentem a passagem das horas de outras formas, que olha a cidade, a vida, os homens por cima como quem já viu, viveu e creu e não inveja a ninguém... Ou mesmo aquelas senhoras idosas ranzinzas cheia de dores que reclamam do filho, do marido, da passagem do tempo da juventude que se foi.... Ou ainda aquelas senhoras idosas que tem certeza absoluta que a vida não começa depois dos 50, a vida começa AGORA e estão ai, melhor do que eu... Gosto de papear com esse povo que passou dos 60... 70... 80...


Nem preciso dizer que gosto de adolescente, dos meus pareceiros e pareceiras... do clube das mulheres casadas... do clube dos maridos das amigas, especialmente os que me chamam para assistir jogo de futebol, mesmo quando eles torcem pelo Internacional, Cruzeiro ou Sport, porque bem, ninguém é perfeito!

E na verdade é ai que mora o titulo do post, gostar de gente é sempre um risco, uma temeridade... Ultimamente eu venho pesando meus valores, minhas construções afetivas, minhas idas e vindas, minhas histórias repetidas com as pessoas, o tanto que eu fui usada, machucada e derivativos... Começo a pensar que seria melhor seguir o exemplo de Júnior e começar a gostar de Betas.


Ou seguir o de Aline e começar a curtir mais cachorros que gente!

Rambo: eterna criança de Aline!
Eu duvido que Rambo maltrate Aline afectivamente algum dia ou que as betas de Júnior sejam cruéis com ele, mesmo sem querer querendo... Ah, mais eu duvido mesmo!!! E nesse ritmo eu começo até a entender porque Rafaela comprimenta primeira Pi e depois as outras pessoas da casa. Começo a pensar se isso é absurdo ou simplesmente é um reconhecimento a fidelidade canina da cachorra dos zoião!

A cara de Pi!
Eu devia aprender com meus irmão menores a ser menos tola e presumida... Começo a pensar que meu pecado capital é a presunção... Eu presumo demais sobre as pessoas, que elas são legais, que nada de ruim vai acontecer, que não vão me pisar, que eu não vou pisar e me arrepender em seguida... Que não vai haver abuso, excesso, maldade, uso... É tão ruim se sentir usada... Isso está se transformando em uma coisa tão comum em minha vida... Já tá ficando rotineiro de um jeito que eu começo a pensar onde vou parar nesse ritmo!

O pior é que a essa altura do campeonato eu já convivi com tanta gente que algumas coisas já consigo prever, sei onde vai dar, mas, e talvez esse MAS seja minha maior presunção, eu sempre penso que vou aguentar, que sei que é assim mesmo... que não vou sofrer, que não vou chorar... que vou consegui manter o sorriso no rosto, o ar amigo... e seguir em frente!

Achar que vai dar para suportar talvez seja a maior das minhas presunções idiotas, mais pouca idiotice para mim é bobagem néh!!! Não dá para sorrir sempre. Nem todas as pessoas valem a pena o estrago. Eu não suporto mais ser quebrada desse jeito.

Estou cansada!

Começo a pensar seriamente que entre gostar de cachorros, peixes ou gente, o estúpido é gostar de gente, talvez os meus irmãos estejam certos!
_________
Ainda hoje eu li um texto da Cris, lá do Cafofo, falando sobre blogueiros malas, depois que escrevi esse post eu pensei: realmente eu sou uma mala... Esse post ficou enoooorrrrmeeeeeee.... Eu fiz o blog de diário de novo e sim... sou irremediavelmente mala! kkkkkkkk....

19 comentários:

  1. O caminho é longo e demorado, mas quanto mais eu estudo história do comportamento humano mais eu me contradigo acerca da afetividade e sociabilidade humana. Sempre achava que a humanidade estava piorando em relação ao que já foi. Mas é o contrário. O ser humano era muitíssimo pior, mais cruel, mais sangrento, mais assassino, mais psicopata do que é hoje. Devarzinho vamos ajustando as idiossincrasias para o bem. Muito devagarinho, é verdade, mas mudanças nos modos de pensar são mesmo mais lentas do que de agir.

    Epa, outro mala, se deixar eu fico comentando aqui até tarde. rsrs.
    ABração. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  2. Você foi da morte à vida nesse post, processos inquestionáveis, que sao fatos.
    E sou tal qual como você, continuo firme e forte acreditando nas pessoas, mas até eu me desiludir... essa semana que passou foi forte, porque foi uma que me desiludi. Mas acontece, e ainda bem, sinal que to vivinha e acreditando.
    Minina, olha o post dos malas aqui também, desse jeito vou ficar famosa!!! hehehe Vou correndo enobrecer meu ego mais uma vez e agradecer no CaFoFo, Pandorinha, ah vou!

    ResponderExcluir
  3. Lindo, lindo esse seu post! Amei! Porque ele me traduz tanto.

    E olha post enoooorme é post chato, post bom não tem tamanho é apenas bom.

    Eu amo os animais e acho que o ser humano tinha muito que aprender com eles. Mas amo gente também, se bem que ande tão decepcionada, fazendo tanta força pra dar a volta por cima, superar, deixar revoltas e mágoas para trás que ando mesmo é cansada. Mas uma hora essa maré ruim passa... rs

    Beijocas e seu post vai ficar bem separadinho aqui, foi fantástico!

    ResponderExcluir
  4. Pois o mala aqui não é muito chegado em gente, com as costumeiras exceções de praxe.

    Não consigo esquecer o q um conhecido me disse, há mais de 20 anos: "O q tenho mais medo na vida é de gente". E olha q ele era um cara sociável...

    Tudo de bom, Pandora.

    ResponderExcluir
  5. Pandora,
    eu adooooooro ler, alguns blogs mais que outros, claro... alguns assuntos idem! Mas existem pessoas que fazem textos enormes "malhando" os outros apenas, expondo uma opinião pessoal do que acham "certo ou errado" virtualmente. E tudo bem... mas tudo tem seu "ponto de vista". E blog nada mais é que um diário mesmo! Adoro posts grandes! Deve ser porque eu sou "mala" também!!! kkkkkkkkkkkk
    Bjks!

    ResponderExcluir
  6. Paaaaaaaaaaaaaaand, cabei de vir lá do bloguito da nossa Ferzoca, e li seu comentário hehe adoreiiiiiiiiiiiiii, obrigada, to tendo uns dias bem "bundas" como diz Rita Lee, eu somatizo e depois fico doente, puxei a Fer tá vendo?!!! ninguém merece isso, hj passei a madrugada no hospital tomando um soro básico, agora tudo vai melhorar, cansei dessa fase, já passei, apertei o "next" da vida e num quero mais nem saber rsrs

    Agora sobre seu post: no início quando fala da morte me lembrei muito do livro "A menina que roubava livros" não sei se já leu, é um dos meus favoritos! E quando diz "Eu sou desagradavelmente fã de gente." aff duas, e essa vai pro face amiga rsrs Mas somos estupidamente felizes tbm por gostar de gente para o nosso bem ou para o nosso mal. hehe

    Vamos ver se hj conseguimos nos trombar no msn para matar a saudade desse trio calafrio mais loucas que o batman rsrs

    te adoro e adorooo seus textos, escreve master bem e fala de mim ;)

    ResponderExcluir
  7. Olá.

    As vezes as palavras
    precisam ser breves.
    As vezes por amor
    a elas e aos seus sentidos,
    precisam ser longas.
    Este texto tem
    o tamanho necessário
    para ser sentido e pensado,
    sem qualquer rótulo,
    ou receio de ser longo.

    Vida plena em teus dias.

    ResponderExcluir
  8. Gosto de tudo e de todos. Até que me façam deixar de gostar:)

    ResponderExcluir
  9. Oi "mala" querida rs

    Pand, eu vou babar aqui mais uma vez...
    Você é incrivelmente fantástico. Continue fazendo seus textos longos.
    Ah, e vou comentar a parte mais importante dele rs.

    D I G A A A L I N E Q U E C O N T I N U E I N S I S T I N D O C O N T I G O (ela tá certa, uai) rs

    ResponderExcluir
  10. Todo mundo q tem blog acaba desabafando as vezes
    É normal.
    Mas hj em dia esta cada vez mais dificil gostar de gente
    O pior é q mb não sou muito fã de bichos ;D
    Abç

    http://falandosobreall.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Olá querida, interessante post.
    Aonde se falou de religião, morte, vida , pessoas novas, idosas, bichos, e gostar de gente.
    Você transcreveu o texto de uma forma objetiva e ao mesmo tempo cheia de reflexões
    Todos temos um cronograma, nascer, crescer e morrer, com várias etapas de nossas vidas. As vezes gostamos de um e de outros não, e os bichos não são diferente.

    NÃO a achei mala, pois o texto cada vez que eu lia ficava interessante.
    Beijos , ótimo domingo e maravilhosa semana

    ResponderExcluir
  12. Pand querida, quando vc for ver minha nova postagem "Relicário de gente", onde falo das pessoas que encontrei por essa blogosfera, quero que ao encontrar a palvra "pessoa olhos" clique na palavra "olhos", é uma mensagem subliminar de carinho ;)
    bjokitas mil amiga!

    ResponderExcluir
  13. Interessante seu post, bem criativo!!!
    Cheguei até aqui através do belo depoimento que a Meire fez. Achei muito linda a homenagem na qual tu estavas incluída. Confesso que seu nome me atraiu (sei que é um epíteto de Blog), pois seu significado é algo muito bacana. Vejamos: A palavra PAN, em grego, significa tudo/todos/todas...; e DORA, também em grego, significa dons. O resultado dessa equação seria AQUELA QUE POSSUI TODOS OS DONS. A história encontra-se na obra do dramaturgo helênico Ésquilo em seu "Prometeu Acorrentado" (mas não vou contá-la aqui...) O importante é que o irmão desse deus acorrentado, Epimeteu (EPI, que quer dizer depois; e METIS, que pensa, ou seja o QUE PENSA DEPOIS) recebeu um presente dos deuses olimpianos... Conceberam uma mulher cuja essência recebeu um dom de cada um deles, sendo que Hermes/Mercúrio lhe doara algo próximo a curiosidade, daí a explicação de ela ter aberto a caixa que recebeu seu nome, pois foi criada e trazida junto com ela ao mundo dos homens. Isso foi um martírio tanto para Pormeteu (PRO, que quer dizer ANTES; METIS, que pensa= O QUE PENSA ANTES) e para seu irmão Epimeteu, que ingenuamente recebera e se apaixonara pelo estratégico presente dos deuses. Interessante!!!!!! Podia escrever o dia inteiro sobre esse tema, mas o espaço aqui é curto.

    Adorei seu Blog e quero que saiba que gostei muito de seu nome e de seus escritos!!!!
    Abraço querida!!!

    ResponderExcluir
  14. Pan, eu li um babado que você escreveu na Ferzoca, no "Ah se eu fosse você" que na hora fiquei com cara de Rambo recebendo carinho :)
    Obrigadinha, mas nesse caso me senti gente e das bem queridas ;)
    Já notou que a gente tá formando um elo de belezuras? Depois eu que tenho que aguentar marido reclamar que eu só dou bola pro blog hahaha

    ResponderExcluir
  15. Adorei!

    Eu também sou assim: adoro pessoas, observá-las especialmente, conversar, ouvir histórias e teorias. Gosto mais de ser observadora do que ser ativa em alguma conversa, me divirto analisando reações e atitudes...

    Ah, e eu achando que era a única que tinha esse problema de gostar demais de pessoas!

    Mas são com essas observações dos outros que aprendemos a ser nós mesmas, não?

    Adoreeei!

    ResponderExcluir
  16. Pandora querida, meu comentário vai ser um trecho que eu já usei algumas vezes no meu blog sempre que me pego tendo esses questionamentos...
    "- Você não acha essa vida uma complicação danada, Nazaré?
    - Não acho não. Deve ser porque eu não tenho estudo, aí a gente pensa menos, vai levando como dá. Pensa demais, acaba endoidando.
    (Lya Luft; As parceiras)"
    Triste mas parece verdade, quando a gente pensa demais, sofre demais...
    Mas eu não quero ser burrinha... nem você né?? hehehe!!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  17. Oi Pandora ... acho que posso ser incluída nos blogueiros malas então porque é raro conseguir escrever em poucas linhas o que tenho para dizer. É que sou faladora mesmo hehehehe.
    E sobre o seu post, sou assim como você, sabia? Uma eterna apaixonada pela vida, pelas pessoas, e continuo acreditando, continuo esperando o melhor das pessoas ... é óbvio que continuo também me decepcionando, mas nem sempre e cada vez menos. Acho (não, tenho certeza) que Deus atendeu as minhas preces de levar para longe da minha vida quem não vale a pena e deixar apenas, bem como trazer para mim somente gente do bem, que vibre na mesma faixa que eu, que possa me acrescentar algo de bom e de útil ... tem sido mais facil, mas nossa ... como já caí do cavalo. Já me decepcionei tanto que hoje poderia ser a própria amargura, mas acho que essa é a vitória do bem e do amor, quando você supera e se supera, tornando-se melhor ser humano a cada dia, respeitando os outros e deixando cada um fazer suas escolhas. Hoje rio e brinco assim: Você não gosta de mim? Sinto muito, mas esse é um problema seu, porque eu não tenho dentro de mim outra coisa senão amor para lhe oferecer. Ou você aceita ou pode ir em paz :)
    Bem, desconfio que já me perdi nesse longo comentário mala rsrsrs mas o que queria dizer mesmo é que gostei do post. Parabéns.
    Beijo na alma.
    Angel.

    ResponderExcluir
  18. Nessa louca vida,minha querida,eu ja aprendi algo que vivo repetindo por aí,nunca espere nada em troca de ninguém,nunca confie 100 por cento em alguém,nunca ame cegamente alguém.Um dia ela vai te decepcionar pq ela não sabe o que vc espera dela,e vice versa.Somos assim,apaixonantes e decepcionantes.O que nos conserta,é a vontade de acertar quando existe boa vontade,e amor.
    Continue gostando de gente,dos animais,de tudo ao seu redor.A vida é isso,simplesmente gostar.
    Boa semana,bjka

    ResponderExcluir
  19. Eu vi o link desse post no post da Ana Seerig... acho que vou escrever sobre isso tbm.

    Eu queria tanto entender pq eu sou tão idiota, porque eu cometo os mesmos erros, porque eu acredito no mesmo tipo de pessoa sempre! Que saco! O pior de tudo que eu sempre sei onde vai dar, eu sempre sei onde tô me metendo, eu sempre sei que vou me f*der, mas mesmo assim eu continuo. Não consigo acreditar que um ser humano possa ser tão idiota assim.

    E só pra descontrair... só sendo muito nerd para ler Sandman.

    BeijoZzz

    ResponderExcluir

Esse blog não representa um exercício de escrita, ele é um exercício de memória, de lembranças e esquecimentos. Funciona como uma caixa onde guardo coisas, sinta-se livre para comentar, mas saiba: comentários sem relação com o post serão excluídos por respeito a quem comenta de verdade.