segunda-feira, 17 de julho de 2017

A Mitologia Nórdica do Neil Gaiman


Quando descobri que Neil Gaiman escreveu um livro sobre mitologia nórdica eu tinha todos os motivos do Multiverso para ler.

Por um lado, tenho um fraco por narrativas mitológicas. Gosto da forma como elas são resilientes, como mostram a força da oralidade para passar conhecimento, elas antecedem a ciência e sobrevivem a ela, mesmo não possuindo mais o status de verdade, ainda encantando e instigam. E claro, quando tudo em uma aula de história falhar, e muita coisa pode falhar em uma aula de história, uma narrativa mitológica pode salvar a lavoura.

Por outro sou apaixonada por Neil Gaiman. O britânico se construiu através dos anos como um narrador privilegiado, ele é capaz de passear por praticamente todos gêneros possíveis e imagináveis. Gaiman roteiriza quadrinhos/séries/filmes, ataca de poeta, escreve livros infantis, seus romances são inesquecíveis, seus contos são precisos em sua capacidade assustar, instigar ou encantar.


Em "Mitologia Nórdica" somos apresentados a um conjunto de mitos nos quais se conta desde a criação do mundo e todas as coisas até os dias finais desse mundo. Sendo Odin, o pai de todos, Thor, o senhor dos trovões e o mais forte fisicamente de todos; e Loki, a personificação da astúcia, os protagonistas. E ora vejam só, os nórdicos também tem uma trindade? Ou o destaque dado a esses três se deve ao fato dos mitos desse povo terem sido registrados no papel e assim preservados por padres?

Bem, podem me chamar de chata, mas sempre que vejo trindades masculinas tão arrumadinhas nas narrativas mitológicas ou um destaque demasiado para divindades do gênero masculino em detrimento das do gênero feminino me pergunto: "Quem trouxe essas narrativas para os idiomas modernos?". Geralmente a resposta é, tcharam: PADRES CATÓLICOS. Não vamos questionar a importância de Odin, Thor e Loki, mas pensemos na possibilidade de terem existido outras formas de narrar o surgimento e fim dos tempos colocando em evidencia deusas e não deuses e essas narrativas, para nosso desespero, foram descartadas.


A parte minha epifania, o livro é uma delícia de ser lido! Entre as várias peculiaridades do pensamento mitológico nórdico Gaiman privilegiou a figura de Yggdrasill, a árvore do mundo; o Poço do Mímir, no qual se pode obter conhecimento; a origem dos tesouros dos deuses, como o Martelo de Thor por exemplo; o Ragnarök, a batalha final e o fim de tudo; e sobretudo a crença na astúcia, trapaça e jogos de palavra como coisas capazes de superar tamanho e força.


Os deuses nórdicos, a exceção de Thor, são trapaceiros, astutos e egoístas ao extremo. Se eles protegem o Sol, a Lua, a Beleza e a Primavera é por necessitarem disso e não por se sentirem de alguma forma responsáveis por alguma coisa. São criaturas interessadas em sobreviver ao inverno e garantir sua segurança em um mundo cercado de neve e perigo cujo fim está próximo.

Foi instigante pensar sobre as peripécias de Odin, um deus para o qual está devidamente informado é a coisa mais importante do multiverso. Ele trocou um dos olhos por conhecimento, sacrificou a si mesmo na Árvore do Mundo por mais conhecimento ainda e conserva próximo a os Corvos Huginn e Muninn ("pensamento" e "memória"). A figura de um "Pai de Todos" tão avido pelo saber coloca em evidência o quão central era para aquele povo as virtudes da mente. Na mitologia nórdica a força bruta mal orientada não sobrevive ao inverno, a boca do lobo, aos perigos da noite, ao perigo que existe além da Muralha.


Senti falta de contos nos quais as deusas tenham maior protagonismo. Gostei da forma como Gaiman conseguiu deixar seu texto leve, acessível a crianças alfabetizadas, possível de ser lidos para crianças em processo de alfabetização e instigante para adultos. Foi maravilhoso ler sobre Yggdrasill, a Árvore na qual se sustenta os Nove Mundos (Asgard, Álfheim, Nídavellir, Midgard, Jötunheim, Vanaheim, Nifleim e Muspell). Adorei conhecer a história dos três perigosos filhos de Loki. Ainda estou pensando no Ragnarök.

Não posso dizer muita coisa sobre a tradução de Edmundo Barreiros, mas achei a edição da Intrínseca linda e por isso enchi o post com imagens dela. E, para quem curte romances históricos, a Mary Balogh, autora da série "Os Bedwyns", se inspirou nessa mitologia para compor seus personagens e as personalidades deles.


7 comentários:

  1. Olá, Pandora.
    Não sabia disso sobre Os Bedwyns hehe. Eu gosto bastante de mitologias, mas da Nórdica conheço pouco, só o que vi nos filmes. Mas infelizmente acho que não leria esse livro porque diferente de você eu não sou muito fã do autor. Li três livros dele e não consegui gostar de nenhum deles. Acho que vou deixar passar a dica.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Oi, Pandora!
    Menine, fiquei chocada com essa relação dos Bedwyns. Mais um motivo pra conferir essa série.
    Também tenho um fraco por mitologia e estou louca pra conferir esse livro.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do Sorteio de Férias: cinco livros, um ganhador!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Pandora, tudo bem?
    Do autor, li apenas uma HQ e confesso que a leitura não foi muito feliz :P Mas ainda pretendo ler algum outro livro dele. Talvez eu venha a ler esse, pois gosto bastante de mitologia, mas a nórdica pouco conheço. E claro, mais uma vez, adorei seus comentários sobre o livro. E eu também sentiria falta de mais protagonismo feminino.
    Beijoooos
    http://www.profissaoescritor.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Meu Deus esse livro parece ser ótimo! E ele é muito lindo, uma ótima dica! Não sou tão fã de romances do gênero mas daria uma chance!

    Beijão,
    Querida Cretina

    ResponderExcluir
  5. Oi Pandora! Eu sou fã do autor e este livro eu ainda não conferi, pelo visto ele não decepcionou. O que gostei mais foi o debate sobre a presença das mulheres, infelizmente o espaço é pouco.
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  6. Oi Pandora! Adorei a resenha! Conheço o autor, mas nunca li nenhum livro. Acho que iniciaria com esse, pois achei a trama bem interessante. E essa capa? Fui na livraria essa semana e ele me chamou atenção de primeira, só que o money me impediu de leva-lo para casa rsrs... quem sabe numa próxima.

    Beijos

    Vivian
    Saleta de Leitura

    ResponderExcluir
  7. Oi Pandora!
    Queria muito ler esse livro! Eu fiquei com mais vontade de aprender sobre a mitologia nórdica depois que assisti a série Vikings. Sendo escrita pelo Neil Gaiman então, deve ser muito bom.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir