sábado, 21 de julho de 2012

A Blogagem Coletiva, a pergunta e a falta de resposta!

Hoje é o dia da blogagem proposta pela Aleska, acho que depois de tanto tempo de parceria eu meio que tenho um compromisso moral de postar algo a respeito... Mas confesso que está sendo mais complicado do que eu pensei.

Eu não sou uma pessoa que dialogue muito bem com seu próprio corpo e isso não é de ontem ou de antes de ontem, é um caso antigo que inclui espelhos quebrados, anos sem olhar no espelho, impaciência crônica, dietas loucas e algumas coisitas que são mais comuns do que se pode supor olhando assim de longe.

Eu sei que não sou a única mulher do mundo que tem uma pequena grande aversão a si mesma, há quem diga que toda mulher é uma insatisfeita. Mas eu sou um tipo que leva tudo muito a sério e rumina questões como bois ruminam a grama e desde que Aleska propôs esse tema e a Vaneza com Z me fez a seguinte pergunta:


"Como você pretende falar do seu corpo se você nem gosta de si?"


Eu simplesmente não consigo organizar meus pensamentos de maneira adequada para falar sobre esse tema, estou meio que parada no tempo pensando... A pergunta da Vaneza foi um soco no estomago e tanto, não tinha parado para pensar que a falta de paciência com meu corpo é uma falta de paciência e de afeto comigo mesma...

Um dos meus primos debochados costuma dizer que eu sou muito pouco gentil comigo mesma, as palavras da Vaneza me lembraram as dele e eu continuo em curto, a pergunta da Vaneza não tem resposta e eu não tenho como desenvolver esse tema no momento.

Sei de cor que:

"Temos que nos aceitar;
O padrão de beleza é uma coisa historicamente construída;
Ninguém é obrigado a se pautar pelo padrão arbitrário da mídia;
Todos tem sua própria beleza;
Aos olhos do Pai todos somos obras primas..."

Eu repito isso para mim todos os dias, já disse isso centenas de vezes a um monte de pessoas, eu acredito nisso... Mas me olho no espelho e vacilo e um dia sim e o outro também penso que séria melhor não ter nascido, não é que eu não veja beleza na vida, eu vejo, tem a poesia, as crianças, o sol, o mar, meus amigos, mas, isso tudo existia sem mim lindamente...

Enfim, não consigo falar sobre o tema da postagem de forma decente... Aleska, minha linda, me perdoe, sei que sua proposta vai ser o sucesso e corre o risco de ajudar a quem precisa tanto agora quanto no futuro, afinal sempre tem meninas/mulheres em busca desse tipo de conteúdo na net quando elas pesquisarem vão encontrar esses textos e eu espero que com eles encontrem o apoio que precisam para ser mais elas e menos o que os outros desejam que elas sejam.

24 comentários:

  1. Não concordo mesmo com certas coisas que vi na minha vida, antes mesmo de conhecer a internet. As pessoas, no geral, são cheias de frases feitas, óbvias, que primam pelo mesmismo, pela futilidade. Podemos sim, não gostar de nosso próprio corpo e gostarmos de nós mesmo. E eu acredito, sobrinha, que vc gosta sim de si, assim como gosta de tanta gente; vc mesmo já falou que é cheia de amigos. És uma pessoa cheia de vida, uma grande pessoa, que irradia muita simpatia. E isso não é pouco, não, é muito nos dias de hoje.

    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Tio Verden, o senhor é mesmo um fofo!!!!

      Excluir
  2. Minha doce Pandora

    Digo que fiquei triste em saber que não gosta de você ao ponto da sua amiga Vaneza com Zdizer:
    "Como você pretende falar do seu corpo se você nem gosta de si?"

    Primeiro acho que precisas urgente usar óculos para poder se enxergar melhor.

    Que tem a beleza naquilo que escreve, naquilo que faz, que ama o nosso Criador, não pode em hipótese alguma não gostar de seu corpo.

    O seu post só com as poucas palavras que colocou disse tudo com tão pouco.

    "Quem ama extremamente, deixa de viver em si e vive no que ama." (Platão)

    Beijos no seu coração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irene você é que é uma pessoa doce e com esse jeito de mãe vai nos ensinando a colocar a nossa vida na linha!!! :)

      Excluir
  3. Jaci, realmente não entendo. Tu concorda comigo quando digo que cada um é o que é, diz que cada um tem que ser o que quer ser e esquecer os outros, e agora me sai com essa de não gostar de si. Nunca vou entender geminianos, dizem uma coisa e fazem outra.
    Tu precisa criar vergonha e aprender a gostar de si, aprender a aceitar seus próprios erros, aprender a brincar e aprender que não podemos corrigir todos os problemas do mundo e muito menos carregá-lo nas costas (essa última falo mais pra mim do que pra ti).

    Sabe qual é a minha vontade? Te tapear até tu acordar e perceber que pessoa especial que tu é. Especial e linda. Chega de ficar aí se fresqueando. Cria vergonha, mulher!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caraca, misericórdia, quase que eu apanho agora!!! É, realmente eu sou uma pessoa estranha Ana, releve, é da vida, vou melhorar, a gente sempre pode mudar e sim, geminianos são especialistas em mudanças e o primeiro passo é sempre falar a respeito!!!

      Excluir
  4. Acho que você precisa ler a minha postagem de hoje!
    Conto com sua visita ao http://projetandopessoas.blogspot.com.br//
    bj Sandra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sandra, valeu pelo convite, li sim sua postagem e gostei muito de certas coisas que li por lá!!!

      Excluir
  5. Uma confissão vale mais do que uma resposta sem sinceridade. Todas falaram muito bem do tema e agradeço mesmo, mas se você precisa de ajuda e resolveu pedir através dessa blogagem, também vai acabar sendo útil a alguém. É possível que você incentive alguém a procurar ajuda.

    Pense Jacinha que seu corpo é a sua casa. Você mora dentro dele durante uns 70 anos e precisa cuidar dele. Seja grata à ele pois lhe dá uma boa oportunidade de aprender para ficar mais perto de Deus. Essa blogagem discutiu muito a forma como se cuida do corpo, se é necessário ser muito magro, se é necessario querer sempre ser mais do que se é e coisas assim.
    Ah! maps é melhores amigas para sempre rss e vc é minha maps da internet. beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei disso Aleska!!! Somos sim MAPS!!! Parceiras e tudo o mais, vc tem até um marcador para você nesse blog: "Ideias da Aleska" rsrs

      Excluir
    2. sério? cadê esse marcador?

      Excluir
  6. Choquei! Acho impossível você não gostar de si mesma. Não gostar de algumas coisas em seu corpo não tem, absolutamente, nada a ver não gostar de si mesmo!
    Errado está em fazer de nossos pequenos "defeitos" uma prioridade em nossas vidas e isso você não faz!
    Acorda garota! Você ama o mundo e as várias faces dele e o mundo te retribui da mesma forma, mesmo que nem sempre a gente veja assim.
    Eu gostaria de ter nascido com 1,70m, ser loira, ter olhos azuis e nariz sei lá que jeito, nasci com 1,60m, morena com olhos castanhos e o nariz da família, me olhei no espelho vi que era isso que tinha dei de ombros e fui viver, rs A excessiva importância que se dá ao corpo nos dias de hoje, me
    irrita profundamente. A vontade que tenho é dizer: Deixem de olhar a casca! Vão viver!
    bjs sua linda
    Jussara

    ResponderExcluir
  7. Eu me amo... Mesmo se não estou dentro dos padrões de beleza que as revistas (trabalhadas no photoshop) apresentam. E pare de se cobrar tanto pois você é especial.

    ResponderExcluir
  8. Vou utilizar um ditado que minha mãe sempre diz:"A sempre um sapato velho p/ um pé descalço".
    Entenda corretamente essa frase: Cada uma pessoa tem alguém que Deus reservou p/ si. (Que realmente valha a pena)
    Temos que relaxar p/ encontrar.
    Acredito que a sexualidade nos ajuda a c/ o tempo conhecermos o nosso corpo e curtir melhor.

    A questão, de nos aceitarmos é que os jovens tem muita pressa em ser aceitos. Podem sentir-se inseguros qdo não aparece logo um amor, daí começar a achar que a ditadura da beleza, vai nos levar ao desespero. Por isso, a grande procura entre adolescentes por plásticas, academias...

    Jaci c/ isso te deixo um texto muito apropriado da Marta, p/ reflexão.
    "O Amor, ao contrário do que se pensa, não tem de vir antes de tudo. Antes de estabilizar a carreira profissional, antes de fazer amigos, de viajar pelo mundo, de curtir a vida. Ele não é uma garantia de que, a partir de seu surgimento, tudo o mais dará certo. Queremos o amor como pré-requisito para o sucesso nos outros setores, quando, na verdade, o amor espera primeiro você ser feliz para só então surgir, sem máscara e sem fantasia. É esta a condição. É pegar ou largar. Para quem acha que isso é chantagem, arrisco-me a sair em defesa do amor: ser feliz é uma exigência razoável, e não é tarefa tão complicada. Felizes são aqueles que aprendem a administrar seus conflitos, que aceitam suas oscilações de humor, que dão o melhor de si e não se autoflagelam por causa dos erros que cometem. Felicidade é serenidade. Não tem nada a ver com piscinas, carros e muito menos com príncipes encantados. O amor é o prêmio para quem relaxa. As pessoas ficam procurando o amor como solução para todos os seus problemas quando, na realidade, o amor é a recompensa por você ter resolvido os seus problemas.
    — Martha Medeiros

    ResponderExcluir
  9. É muito difícil fugir dos padrões estabelecidos, no fundo todo mundo sabe que o certo é se aceitar, que existem diferentes formas de beleza, etc, mas no duro é muito difícil! Sei por mim que depois que descobri que tinha hipotireoidismo já havia engordado 14 quilos e foi muito difícil aprender a conviver com aqueles quilos a mais, sem nem ao menos ter comido o suficiente pra aquilo!

    Nunca fui magra, mas tb nunca estive acima do peso, quando comecei a tomar o remédio para a tiroide emagreci 4 quilos, mas fiquei com os 10 sobrando, eu me olhava no espelho e não me reconhecia, me detestava, chorava e daí passei a comer de verdade! Acho que só não entrei em deprê pq meu marido, na época namorado, nunca disse um "a" a respeito do meu peso!

    Acho que o pior de tudo é ter gente falando que emagrecer é só fechar a boca e ignoram que o problema é muito maior! Só quando encontrei uma médica que me entendesse de verdade emagreci 12 quilos. Mas fiquei satisfeita? Não! Tenho tanta celulite que tenho vergonha de usar biquíni na praia, mas daí percebi que se um dia eu curasse as celulites eu iria encontrar outra coisa pra reclamar! E por isso, qdo estou de bom humor, ligo o botão do "foda-se" e me amo do jeito que sou! Claro, não é sempre que isso funciona, mas o importante é tentar!

    Bjs

    Pers/Michele

    ResponderExcluir
  10. Olá
    È importante que gostemos de nós mesmos, mas todos temos restrições a algo. Não há perfeição. Talvez tenha ocorrido em sua formação alguns padrões que acabaram impregnando a sua visão e não deixando que se olhe com outros olhos.
    A nossa genética é fundamental e adaptarmos a ela é uma forma de encontrarmos tesouros ocultos e brilharmos.

    bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi voltei. Há um texto no meu blog que não fala especificamente da estética do corpo, mas trata da obesidade entrelaçada às interações familiares. Se desejar conferir veja :
    http://pensandoemfamilia.com.br/blog/terapia-de-familia/retendo-peso/

    ResponderExcluir
  12. Ah, eu te entendo! Também não tenho uma boa imagem de mim mesmo, tem dias que me gosto, outros nem um pouco, e assim vou indo. Essa coisa de autoimagem é complicada, e acho que pouquíssimas pessoas são normais nesse assunto - e me alegra pensar que, se é assim, anormais somos nós, mas estou me desviando. Concordo com a Aleska, uma participação sincera vale por mil, e como diria minha mãe - você não sabe como é ter uma mãe que fez quase quinze anos de terapia, e acabou absorvendo todas as teorias do psiquiatra - o primeiro e mais importante passo você já deu: reconhece o problema, daí para aprender a lidar com ele é questão de tempo.

    Um grande beijo ;)

    ResponderExcluir
  13. Jaci, tudo o que eu escrever, você vai compreender mas não vai assimilar para si. É como bater na água. Sou da mesma opinião da Norma e você terá que fazer uma auto análise mais profunda sobre os verdadeiros motivos que te levam a agir contra você mesma. Devemos, por questão do nosso instinto, nos defender e neste caso, acredito que em sua formação você tenha assimilado erradamente alguma questão - uma frase mal compreendida pode destruir uma vida - Vi você citar o que te faz feliz, mas não citou a família. Alguém por aí exige demais de você?
    Estou visitando os blogues da coletiva homeopaticamente e, ah... não vou falar da falta de tempo.
    Beijus,

    ResponderExcluir
  14. Você colocou sua realidade, aquilo que sente, que passou e que já ouviu muitos dizerem que é o contrário.Mas se não conseguir olhar para dentro de si mesma, talvez não consigo ver o tanto de bom tens.
    É que nem os dons que todos temos, não sou boa para falar em público, sou ótima para organizar, fisicamente eu tenho uma "leve" barriga rsrsrs, mas consigo usar o que eu tenho certeza que é bonito, meu colo, abuso nos decotes...e ninguém percebe minha barriga...a gente tem que descobrir o que temos de melhor, até porque não somos perfeitos...Tenho certeza absoluta que além de sua sinceridade que é o mais belo de um ser humano, existe algo mais escondido por aí.Tente e descubra...
    Paz e bem

    ResponderExcluir
  15. Este post foi bastante sincero, contanto, eu concordo com o Roderick, é praticamente impossível que alguém tenha tantos amigos e goste deles como diz sem gostar de si mesmo. E isto nada tem a ver com corpo, discordo da sua amiga com Z, embora pareça hipocrisia, penso que o post da Ana Seerig deva ser lido com bastante atenção. Ela fez uma confissão de se desagradar a si mesma para agradar aos outros e hoje conseguiu enxergar isto e se estabelecer como ser quem ela é. Talvez seja isto e talvez seja uma grande perda de tempo estar falando isto para você, talvez seja daquelas que não assimile nada de nada e nem de ninguém e tenha apenas a sua verdade, então, fica difícil mudar. Conheço muitas pessoas assim, pouco abertas para mudanças. Porque mudanças realmente assustam, por vezes, é mais cômodo uma zona de conforto, por mais dolorosa que seja, do que agir.
    Sobre o que comentou em meu post, não poderia concordar mais. É muito fácil pessoa colocar sempre a culpa em Deus ou no Diabo do que em seus próprios atos auto-destrutivos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Christian, se tem uma coisa que eu não sofro é da sindrome de Gabriela: "Eu nasci assim, vou morrer assim." Não gosto desse estilo. E sim, penso que o primeiro passo para qualquer mudança é confessa como a "coisa é", quando chego a escrever sobre algo é porque já vejo com alguma clareza o que é, já estou pronta para ouvir a opinião dos outros, já estou a um passo da mudança. Mas, isso não significa que a mudança vai se dar em um ritmo que satisfaça quem ouve porque eu tenho meu próprio ritmo de mudança!

      Excluir
    2. Síndrome de Gabriela??? Caraca! Mais uma síndrome. Eu criei a do coitadinho e do Jason, meu parceiro Ale Schappo a Síndrome Maria do Bairro e agora você vem com esta! Caralho... Precisamos criar um post em parceria só distinguindo as síndromes blogosféricas. ahaha.
      A sério, tem razão, nossa vida deve estar em constante mutação e com o nosso ritmo, não o alheio.
      Precisamos inventar uma síndrome para gente lesada, afinal, eu fiquei procurando sua resposta no post do Batatinha. ahahahaha.

      Excluir
  16. Oi, Pandora! Sabe eu não tinha era a mania de não gostar de meu jeito de ser. Eu mesma não gostava era da minha personalidade. Entendo o que você quis dizer com o post. Convivo com uma pessoa que também se sente como você e somente quem sente isso pode avaliar o que é.

    Mas tudo a seu tempo, não é mesmo? Todos os conflitos que temos vamos resolvendo com paciência... e quando vemos o que era de um jeito já não é mais.

    Beijos querida!

    ResponderExcluir