quarta-feira, 29 de julho de 2015

Citação 011 [O que farei e o que não farei...]

"Eu vou dizer-te o que farei e o que não farei. Não irei servir mais aqueles nos quais eu já não acredito, quer seja a minha casa, a minha pátria ou a minha igreja: e vou tentar exprimir-me nalguns modos de vida ou de arte tão livremente quanto possa e durante o tempo que puder, utilizando para minha defesa as únicas armas que me permito usar: - Silêncio, Exílio e Astúcia." (James Joyce - A Portrait of the Artist as a Young Man)

Encontrei há muito tempo essa fala do James Joyce pelos descaminhos da internet em um lugar que, hoje descobri, já não existe mais.

A parte isso, já há muito tempo adotei essa expressão do James Joyce como lema de vida e vou seguindo... Não sou muito boa em astúcia, mas exílio tem se tornado uma especialidade e espero logo aprender as artes do silêncio.

14 comentários:

  1. Boas armas essas!Gostei! bjs praianos,chica

    ResponderExcluir
  2. eu gosto muito desse livro. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  3. Também almejo para minha vida as artes do silêncio.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Em um momento que tenho pensado minha vida, o blogue e tudo o mais, este post é quase que escrito para mim! Sempre me disseram para "ter medo" do James Joyce, mas taí, ele sabe das coisas ;)

    ResponderExcluir
  5. Olá! Nem sempre é prudente exercitar o silêncio pois há muitos oportunistas esperando justamente pelo silêncio dos inocentes (nem sempre)...E a gente vai escolhendo as "armas' neste mundo lindo e ao mesmo tempo cruel e insensível...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Pandora, acho que a internet tem isto de bom, acaba acolhendo tão bem todos os exilados, os que não encontram chances em outros mundos... pensamento profundo :)

    Beijocas

    www.vidabonita.com.br

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia essa citação e achei bem impactante por sinal. Não sei como vou em termos de astúcia, mas silêncio é o meu desafio maior. Tenho a impressão de que esses três elementos se traduzem em outra coisa: sabedoria, agir com sabedoria. Foi bom passar pelo seu blog hoje, viu?

    ResponderExcluir
  8. Oi menina linda!
    Até em pensamento faço barulho rsrsrsrs, o silêncio é uma arte que não domino, e acho que o exílio acomoda e não resolve muita coisa...
    Status:Bia rebelde.
    Estava com saudades... Bjosssss.

    ResponderExcluir
  9. Olá Pandora, estou aqui novamente. Não li o livro em inglês, só a tradução, em português, publicada pela Abril em 1971, com tradução de José Geraldo Vieira. Não me lembrava desta citação mas, também faz um bom tempo que li o livro.
    Bom, mas o importante mesmo é o que você extraiu dela. Então vamos ao que interessa.
    Digo que é um grande privilégio, conseguir fazer isso. Infelizmente não consegui ainda. Tenho tentado, com muitas falhas, mas tento sempre. O texto que você escreveu lá em O que tem na nossa estante foi muito marcante pra mim. Ainda estou emocionado com suas palavras.
    Não entendi como você a citação mencionada. Na minha ótica, Silêncio, astúcia e exílio, não são artes para Dedalus, que é o personagem da história. Estas são armas que ele usa para enfrentar a vida. As artes seriam as formas de expressão que, para você, segundo o texto do outro blog, seriam o carinho, a aceitação do outro, a delicadeza, a empatia, os limites... que foram ensinados por sua mãe, sua avó e seu pai, respectivamente. Gostei muito do post. E você me deu a oportunidade de rever um livro maravilhoso, refletir sobre posturas e reler seu texto pela tercira vez em menos de meia hora. Muito grato por isso.

    Sou Alberto Valença do blog Verdades de um Ser e colaborador do Meu pequeno vício. Criei agora outro blog sobre viagens. Será sempre um prazer se puder passar por lá.

    Verdadesdevum Ser
    Meu pequeno vício
    O seu companheiro de viagem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alberto! Obrigada por sua atenção aqui para com meus devaneios... Eu compreendo "Silêncio, Exílio e Astúcia" armas finais para situações para as quais não tenho mais uma solução, não consigo suportar!

      Os valores que aprendi com meus entes queridos são artifícios para fins diferentes, eles eu uso para tentar compreender, lidar, digerir... desfrutar!

      Excluir
  10. Eu não conseguiria Pandinha, o silêncio me sufocaria....

    ResponderExcluir
  11. Gostei da citação! Mas silenciar-me seria matar-me!

    Saudades de você, moça. Cadê seus posts? Anda sumida da blogosfera assim como eu?

    Beijo!

    Blog || Fan Page

    ResponderExcluir
  12. Oi Pandora!
    Eu tive que aprender a usar essas armas por questão de sobrevivência, com exceção do exílio, não me exilo de bom grado quando necessário. Mas astúcia e silêncio têm sido meus aliados do dia-a-dia. Sem eles eu já teria morrido.
    Beijos e um ótimo fim de semana para ti. :))))

    Rivotril com Coca-Cola

    ResponderExcluir
  13. Oi, Jaci! Vim só deixar o link do microconto do velório do chefe, que você gentilmente pediu pra ler :)
    https://www.wattpad.com/168680726-%C3%A9-aguda-doutor-vel%C3%B3rio
    Espero que goste!

    ResponderExcluir

Esse blog não representa um exercício de escrita, ele é um exercício de memória, de lembranças e esquecimentos. Funciona como uma caixa onde guardo coisas, sinta-se livre para comentar, mas saiba: comentários sem relação com o post serão excluídos por respeito a quem comenta de verdade.