sábado, 20 de agosto de 2016

Boiar...


Não sei se ainda tem alguém aqui, já faz uns bons dois meses que não posto nada. Mas, preciso quebrar esse jejum para deixar registrado que o hiato entre outras coisas se deve ao fato de todos os computadores da casa terem pifado ao mesmo tempo e demorei uns dias para encontrar uma uma possibilidade viável para a compra do aparelho novo.

Muita coisa aconteceu nesse tempo sem escrita, tenho a impressão de ter vivido umas três vidas inteiras e não ser mais a mesma. Claro, pretendo escrever sobre tudo isso muito em breve. No entanto, como nem toda pretensão se concretiza nessa Terra, não ouso prometer nada nem mesmo a mim, mas acredito na possibilidade desse blog voltar a respirar.

Enquanto eu não escrevia, a vida se tornou dolorosa além daquilo que eu considerava possível. Nos termos do contrato de uso desse corpo e dessa vida não lembro de ter lido algo sobre a possibilidade da convivência com uma dor tão ruim de carregar quanto essa que habita em mim. Devia ser ilegal algo assim acontecer as pessoas. Todavia não só é perfeitamente legal como corriqueiro, cada vez que conto sobre as agulhas que me perfuram o coração as pessoas me respondem contando de uma aflição próxima, igual ou, absurdo dos absurdos, infinitamente maior que a minha.

Aprendi recentemente a boiar sobre a água e confesso que ultimamente ando aplicando esse conceito a vida. Fecho os olhos, estico o corpo, respiro fundo e permaneço na superfície da água me deixando levar pelo sabor da corrente na tentativa de recobrar as forças... Agora não, mas muito em breve vou abrir os olhos encarar o azul do céu e começar a bater braços e pernas tomando novamente o curso da minha vida.

9 comentários:

  1. Que beleza de texto e todos devemos saber boiar nas águas da vida e saber quando é a hora de mexer os braços...Lindo! Bom te ver! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. linda a foto e eu adoro boiar. eu via agora o a arte do encontro com o daniel filho sendo entrevistado e ele disse que tudo passa, o sucesso, o fracasso. e disse, senta e espera, que passa. vou tentar aplicar. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  3. Linda imagem e é assim na vida mesmo precisamos aprender boiar quando tudo está agitado e a mente e corpo cansados

    ResponderExcluir
  4. Tem muita gente aqui sim dona Pandora!
    Escreva sim, a dor que machucou o coração pode ser transformada em bonitas recordações, homenagens.
    Por aqui é a internet que insiste em não colaborar. Nosso serviço contratado vai de mal a pior.
    Respiros, suspiros, respirações profundas e renovadoras em seu blog, em seu peito!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Oi Jaci! Dor é algo muito pessoal, cada um tem a sua e por mais parecida que seja não é igual, pois não temos o mesmo corpo e mente, definitivamente não sentimos igual.
    Há momentos que não podemos realmente fazer nada a não ser boiar e deixar o corpo e mente se recuperar para mais a frente encarar as águas da vida.
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  6. Olha, de vez em quando eu dou umas espiadas para saber se tem texto novo por aqui. Hoje foi uma delas e dei a sorte grande. Realmente, viver não é fácil. Estou sentindo isso na pele. kkkk
    Acho que bóio de vez em quando. Quando estou em paz comigo mesma (o que às vezes pode durar pouco), já que a correnteza aparece muito constantemente para me tirar dessa calmaria... Gostaria de mais calmaria...
    Até

    ResponderExcluir
  7. Jaci! Tenho estado em um momento de "suspensão", tudo parece meio estranho e os acontecimentos passam rápido demais, não sei, achei que a vida iria sossegar na altura do campeonato, mas não foi o que aconteceu.

    A gente ainda tá por aqui ;) Dois abraços, sempre.

    ResponderExcluir
  8. Um desabafo que se transformou em um belo texto. Boiar é uma ótima técnica nesses casos. E desejo que sua dor seja vivida, enfrentada e superada. Um abraço afetuoso e com saudades.

    Sou Alberto Valença do blog Verdades de um Ser que está comemorando este mês uma década de existência e com uma promoção semelhante à do ano passado em andamento. Não é sorteio. Todos que participarem ganham.
    http://verdadesdeumser.com.br

    ResponderExcluir
  9. Olá, Pandora, o tempo que passou em silêncio mostra o quanto está aprendendo e em breve, observará um lindo céu azul.
    Bela analogia, tão melhor levar a vida assim, flutuando....
    Abraços!

    ResponderExcluir

Esse blog não representa um exercício de escrita, ele é um exercício de memória, de lembranças e esquecimentos. Funciona como uma caixa onde guardo coisas, sinta-se livre para comentar, mas saiba: comentários sem relação com o post serão excluídos por respeito a quem comenta de verdade.