domingo, 13 de dezembro de 2015

Exposição Fernando Pessoa - Uma Coleção


Fernando Pessoa é um dos meus amores literários mais antigos. Desde a adolescência sua poesia faz parte de minha vida de uma forma intensa e profunda, elas são parte do que sou. Ele é daqueles autores que colaboraram de forma muito definitiva com a minha forma de observar, absorver e interpretar o mundo.


Quando eu soube da "Exposição Fernando  Pessoa - Uma coleção" em cartaz no Museu do Estado de Pernambuco simplesmente sentir uma profunda necessidade existencial de ir lá viver a experiencia unica de está entre as coisas dele.

Nunca subi escadaria com tanto animo! o/

Realmente a exposição é muito completa! Contempla a vida do Fernando, com uma linha do tempo linda com fotos da infância, dos locais onde estudou, do seu pai, mãe, irmãos e irmãs, locais onde trabalhou. Até mesmo o primeiro poema do autor, escrito para sua mãe mãe, foi incluso nela.

Família de Fernando Pessoa, mãe, irmãs e o padrasto.
Fernando pequenino, a mãe e o pai que morreu ainda na infância dele.

A linha do tempo foi didática e inclusiva, mesmo alguém que só ouviu falar de Fernando Pessoa ali compreenderia um pouco sobre o poeta e sua tragetória. Eu me senti conversando com ela, mentalmente dizia: "Poxa, isso eu não sabia!" ou "É mesmo!" e "Foi assim!". Adorei as fotos dos parentes dele, me sentir conhecendo a família de um amigo.

Indo para a exposição de fato, devorei com os olhos as revistas, livros, poemas e objetos. Me senti uma fã xereta e enlouquecida. A exposição foi muito completa, facilmente levou fãs do autor a um verdadeiro estado de estase, a mim ao menos levou. Bateu até aquela vontade de voltar na calada da noite... tsc... tsc... tsc... kkkk

Isso é um bom motivo para aprender inglês

Várias edições do livro "Mensagem", no qual se conta episódios da história portuguesa.

Mar Português é um dos poemas mais conhecidos do Fernando Pessoa!


Me emocionou muito reler "Abdicação". Foi um dos meus primeiros grandes encontros com Fernando Pessoa e é um dos poemas mais marcantes de minha adolescência, mais copiados e recopiados em meus diários e cadernos de poesia.


"Tabacaria" é o texto da minha vida. Como descrever esse reencontro com o poema nas paginas de sua primeira publicação? Não há palavras!



Adiamento também é um daqueles poemas da vida sabe... Quem conhece a mim e o meu eterno sono pode até pensar que esses versos foram escritos pensando em mim.

"Tenho sono como o frio de um cão vadio. 
Tenho muito sono. 
Amanhã te direi as palavras, ou depois de amanhã... 
Sim, talvez só depois de amanhã...

O porvir...
Sim, o porvir..."

(Fernando Pessoa - Alvaro de Campos)

Além das publicações do autor, a exposição também contou com objetos do poeta como sua mesa de trabalho, maquina de datilografar e óculos.




Vários livros que fizeram parte da vida dele.




Isso sim é um box de luxo!

"Sonetos Escolhidos" de Bocage foi o livro que, segundo Ophélia Queiroz, único amor da vida de Pessoa, tinha no pijama ao morrer, guardado em um envelope de papel.


Por fim, a gente ainda pode se deliciar com uma galeria de vários quadros feitos em homenagem ao poeta. Quem tinha grana podia comprar eles inclusive.


Eu não fui sozinha a exposição. Rosely e Ana, duas amigas de trabalho foram comigo, acho que muitas dessas imagens foram obra da Aninha. Esse foi um ano nos qual nós três nos descobrimos, ou melhor, descobrimos o prazer de desfrutar uma da companhia da outra fora do ambiente de trabalho. Nós exploramos a cidade, visitamos museus, exposições e cinema. Eu já tinha me habituado a andar sozinha, tinha até esquecido o quanto é bom andar com amigas. Obrigada meninas por essa redescoberta!

Eu e a Ana!

Eu e Rosi admirando o box de luxo dos Lusíadas!
Eu e Roses xeretando nos livros!
Essa exposição foi um dos pontos altos do meu ano de 2015. Uma experiencia que eu peço a Deus para jamais esquecer... Uma alegria, um balsamo, um sonhos.... Gostaria de viver várias experiencia assim... Gostaria de qualquer dia desses me vê desembarcando em Lisboa e revendo muita coisa e descobrindo novas sobre Fernando Pessoa. 

9 comentários:

  1. muito bacana essa exposição. adoro fernando pessoa. amo a poesia tabacaria. adorei as fotos. teve uma aqui no museu da língua portuguesa, mas não fui. eu participei do projeto victor hugo e postei sobre os miseráveis no meu blog. mencionei o seu. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Exposição incrível, ótimas companhias, muitas descobertas... Parabéns Jaci, vc conseguiu descrever com riqueza de detalhes e sentimentos!!! Ameii

    ResponderExcluir
  3. Que maravilha, quanta coisa a se aprender e se amar.Lindos registros, lindo trabalho.

    ResponderExcluir
  4. Que exposição rica em detalhes sobre a vida e obra de Fernando Pessoa, obrigada por partilhar as imagens.
    É muito gostoso quando estamos acompanhadas das amigas, às vezes podemos deixar passar algum detalhe, que será lembrado pela outra.
    Parabéns, que possa ir logo à Lisboa, para enriquecer ainda mais seu conhecimento.
    Obrigada, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  5. Que lindo, Pandora! Exposição maravilhosa! Quero ver um dia.
    Beijos. :*

    ResponderExcluir
  6. Há uns anos atrás facilitaram meu reencontro com Pessoa, rsrs, ainda não posso dizer que consigo absorver da poesia da mesma forma coo absorvo a prosa, mas ela não me causa mais tanto estranhamento.

    Pra quem é fã do autor, com certeza foi uma tarde e tanto ;)

    Dois abraços!

    ResponderExcluir
  7. Calculo que tenha sido emocionante. Penso que deve ter ido a uma exposição itinerante
    pois estive em Maio na casa onde ele viveu, que hoje é uma casa-museu e tudo isso estava lá na casa. estivemos no quarto dele, com um dos seus factos, num cabide de pé. Foi uma emoção. A linha do tempo é das coisas mais emocionantes.
    Um abraço e Feliz Natal

    ResponderExcluir
  8. Um encontro perfeito: a moça que ama as palavras e o Pessoa que traduziu todos os sentimentos do mundo em palavras.

    ResponderExcluir
  9. Oi Pan!
    Que belo passeio *-*
    Fernando Pessoa era incrivel. Quanto penso na inteligencia que teve criando os heteronimos, eu fico que queixo caido. E a poesia? Tão verdadeira e sutil. Adoro os textos dele. Só li alguns, mas meu favorito, Tabacaria <3

    Abraços
    David
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir

Esse blog não representa um exercício de escrita, ele é um exercício de memória, de lembranças e esquecimentos. Funciona como uma caixa onde guardo coisas, sinta-se livre para comentar, mas saiba: comentários sem relação com o post serão excluídos por respeito a quem comenta de verdade.