sexta-feira, 16 de outubro de 2015

TAG: Os miseráveis

Ao longo de 2015, eu e o Alexandre decidimo ler juntos "Os miseráveis" do francês Victor Hugo. No agarramos a edição da Cosac Naify, ele pegou a edição física, eu me agarrei a digital e seguimos por essa aventura com direito a banner e tudo.

Ao longo do caminho algumas pessoas se juntaram a nós, mas diferenças de filosofias bloguisticas, ritmo de leitura e até mesmo empatia acabaram nos separando.

Outra coisa que aconteceu no meio do caminho foi a elaboração de uma tag baseada em alguns dos personagens do tomo 1 do livro. A ideia é que a gente procure na nossa estante afetiva sete livros que lembrem sete personagens do "Tomo I: Fantine".

Como ando mal das pernas bloguisticas, demorei uma vida para reunir força espiritual para responder essa tag, mas cá estarão as minhas respostas.


1. Bienvenu, Bispo de Digne: Um livro que te abraçou quando você mais precisava.



Há algum tempo eu fiz um post para o "Blog da Elaine Gaspareto" sobre esses livros com propriedades acolhedoras. Aqui, no entanto, só se pode citar 1, então citarei "O livro das coisas perdidas". O John Connolly tem uma escrita sutil, firme, realista mesmo quando trata de fantasia e da a sua história um desfecho absolutamente redondo e firme, do tipo que te abraça e empurra para frente.

2. Jen Valjean: Um livro que precisou de uma segunda chance.


Aqui não vou citar um livro, vou citar uma autora: Cecelia Ahern. Minha primeira experiencia com ela foi morosa, lenta e frustrante, esperava uma coisa e recebi outra, não tive empatia com a protagonista. Totalmente oposta a experiencia com "A lista", não esperava nada desse livro e ele me deu tão mais do que eu esperava que já solicitei ao Alexandre o próximo livro dela.


3. Madelaine: Um livro que parece uma coisa, mas é outra.


"O começo do adeus" é tudo o que a capa não diz dele. Quem protagoniza a história é um homem, o Aaron, que perdeu a esposa em um acidente tão repentino quanto esquisito e precisa lidar com o enorme vazio deixado por ela... Precisa encontrar formas de dar adeus a uma pessoa central na vida dele. Como tudo da Anne Tyler esse livro tem uma pegada forte na psicanalise, não é nada açucarado, fala de pessoas comuns como eu e você e é muito fácil se identificar com os personagens... Em nota, a esposa do Aaron era uma médica negra NADA HAVER com a mulher da capa.

4. Fantine: Um livro cujo o fim de te fez chorar.


"Marina" do Zafón, foi um dos melhores livros do ano até aqui. Depois de Neil Gaiman Zafon foi o autor que mais divinamente vi flertar com os clássicos da literatura ocidental. Ele consegue construir uma Barcelona capaz de encher Alan Poe de orgulho, executa a arte de tornar o absurdo plausível como Kafka e se apropria da ciência para fazer o horror acontecer como Mary Shelley. Aliás, ele homenageia esses autores em seu livro... E quando eu estava totalmente embebida nessa vibe, ele simplesmente me matou de tanto chorar! Livro perfeito, redondo... lindo!

5. Tholomyès: Um livro que foi abandonado.


Eu tentei, juro que tentei, mas não consegui avançar em "História das Assembleias de Deus no Brasil". Letra pequena, linguagem apologética, aquele português difícil... Um dia quem sabe... 

6. Cosette: Um livro infantil pelo qual você tem muito carinho.


Sou apaixonada por "Alice no país das maravilhas", o livro parece uma história de terror, mas a aventura da menina no mundo além da toca do coelho continua me encantando dia após dia, ano após ano da mesma forma que encantava quando há vinte (Deus passaram-se duas décadas) anos atrás.

7. Javet: Um livro cuja leitura foi sofrível.


Não que "Eu estava aqui.... e você?" seja um livro ruiiiiiiiiiiiiiim.... É que eu não me identifiquei mesmo com a protagonista. O Neir Ilelis foi professor de português e como tal conseguiu reproduzir muito bem, embora essa talvez não fosse sua intensão, o lado b da rotina de uma escola... Acho que isso bastou para que eu antipatizasse com sua protagonista e toda sua aventura tornando a leitura sofrível.

Quem quiser responder a tag, sinta-se convidado. Se e quando fizer, deixa o link aqui para que eu possa vê!

11 comentários:

  1. Nunca li Os Miseráveis, mas tenho vontade. Achei a tag bem bacana e pleo menos nos livros que eu li, eu concordo hehe. O livro das coisas perdidas eu amei, sem falar que a edição é linda,. E Zafón é tudo de bom, um dos melhores autores que já li.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  2. eu estou lendo os miseráveis. a edição da cosac. estou nem na metade do primeiro volume. maravilhoso. mas levará tempo. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  3. Eu me lembro que foi difícil responder essa TAG pq eu jamais havia pensado nessas perguntas! Adorei as respostas pandinha porque todas elas foram diferentes das minhas! Simplesmente todas! E eu me lembro como foi difícil pra vc terminar Neir Ilelis!

    Ahhh, gostei das fotos tb, vc está ficando expert em fotografia!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  4. Oi Pandora, adorei a TAG mas, adorei mais ainda, o comecinho desse post quando você diz que "anda mal das pernas bloguistas" mas conseguiu reunir forças espirituais para dar as respostas, embora tenha demorado uma vida. Adorei ver você de volta. Mesmo que ainda esteja mal das pernas. Persistência é fundamental. Seja bem vinda à vida!

    Sou Alberto Valença do blog Verdades de um Ser e colaborador do Meu pequeno vício. Agora criei também um blog de viagens - O seu companheiro de viagem

    Verdades de um Ser
    O seu companheiro de viagem

    ResponderExcluir
  5. Quero ler é uma resenha de Os Miseráveis, rs Obrigada por suas visitas, estou tentando voltar. bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi, Pandora!
    Li "Os Miseráveis", de Victor Hugo, 2 vezes e gostei muito da Tag que respondeu sobre alguns dos personagens do Tomo I.
    Vou procurar "O livro das coisas perdidas", obrigada pelas sugestões, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  7. Heey!
    Eu quero muito ler "Os Miseráveis" e adorei a tag haha
    Pretendo ler "Alice" em breve e também ter muito carinho por ele ^^
    Seu blog é fascinante, já estou seguindo =D
    Abraços!
    Blog - Desbravando o Infinito

    ResponderExcluir
  8. Menina! Que bom que conseguiu atualizar seu blog....e melhor ainda...comentou lá no meu! Amei o carinho :D
    Aaaai, um livro com esse título, não me dá nenhuma vontade de ler.... :/ Diferente de vc, se eu não curto o assunto do livro, não consigo ler até o fim... falta-me auto-disciplina...pois é.
    Masisso está para mudar. Como eu amoooo livros que têm uma finalidade, uma lição a ensinar (principalmente com cunho psicológico ou científico) logo aceitei a oferta do professor do meu curso hj. Ele indicou-me o livro "O Poder do Hábito" de Charles Duhigg e me emprestou o livro. Já li 50 páginas. Com certeza vou aprender a ter auto-disciplina e ler os livros mesmo sem vontade...rs
    Gostei da ideia da sua postagem... vou fazer uma semelhante e tentar espalhar por aí...tipo blogagem coletiva. Quem sabe rola, né?!
    Gostei muito dos seus livros escolhidos....aquele sobre a história das assembleias, se não me engano eu tenho aqui em casa, pois a capa me é familiar (quando o pai é pastor, tem uma biblioteca em casa...rs)

    Abração da Fran ;)
    http://nomundodafrancine.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Pandorita! Você sempre fala tão bem do livro "As coisas perdidas", que eu realmente preciso conhecer essa obra. Quero ler a versão original de "Alice no país das maravilhas", não aquelas versões fininhas, editadas para crianças (risos).
    E também quero muito conhecer a escrita do Zafón. Todo mundo que eu conheço e que já leu algo dele MORRE de amores por seu jeito de escrever e por suas estórias tão bem escritas. Preciso saber se ele é tão bom assim como dizem.
    Um abraço!

    Blog || Fan Page

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Erica "O livro da coisas perdidas" realmente é lindo, você vai amar!

      Excluir
  10. Aêe!! Adorei ver as tuas respostas da tag, Jaci. Eu comprei Marina recentemente e pretendo ler ainda este ano. E os Miseráveis? Dispensa comentários, é o melhor livro da vida! (ainda estou lendo, como você sabe... hahaha) Obrigado por abraçar esse nosso projeto verdadeiramente, e no nosso ritmo.

    Abraços!

    ResponderExcluir

Esse blog não representa um exercício de escrita, ele é um exercício de memória, de lembranças e esquecimentos. Funciona como uma caixa onde guardo coisas, sinta-se livre para comentar, mas saiba: comentários sem relação com o post serão excluídos por respeito a quem comenta de verdade.