sábado, 21 de junho de 2014

Incertezas, pular em abismos, cair para cima ou da criação das asas...

Disponível Aqui

Várias vezes eu tenho dificuldade em olhar em volta ou deixar o botão realidade ligado por muito tempo. Mesmo hoje, mais de vinte oito anos após minha forçada chegada aqui, ainda me sinto deslocada, inconveniente, equivocada, perdida, dividida entre a suave impressão de ser insuficiente para as tarefas a mim atribuídas e a sensação de ainda não saber bem o que raios devo fazer aqui.

Um dia, em meio a um rito de passagem qualquer para a vida adulta me bateu na rosto um impacto de certeza que desceu ao coração. Mas essa certeza fugiu do meu coração, correu de mim. Eu tentei segui-la. Ela foi mais rápida, saiu enveredando por uma curva e depois outra e mais outra... Nunca fui famosa por meu senso de direção e no labirinto das ruas superpopulosas e intransitáveis das ideias perdi a frágil certeza.

Restou a dúvida.

Quando a única certeza que te sobra é a dúvida viver é algo como pular no abismo...

E de repente, não mais que de repente me veio a memória uma história que li na infância. A história contava de uma aldeia cujas mediações eram próximas a um abismo gigantesco do qual soprava em noites de inverno ventos poderosos. Uma das lendas da aldeia dizia que quem tivesse coragem de se jogar no abismo seria erguido de volta pelo vento.

Será que no abismo da dúvidas há vento?

Ou será que há apenas tempestades?

Em Recife os ventos são fortes o suficiente para inclinar os coqueiros, esvoaçar saias, embaraçar os cabelos e colocar pensamentos sensuais em cabeças desapercebidas do tempo... Desconfio que ele é insuficiente para impedir qualquer queda...

No entanto...
... como resistir a tentação do pulo?

E como é de costume já estou devaneando, sonhando acordada...
Já passa da meia-noite e estou lembrando de versos...

"Um pouco mais de sonho para aquecer a alma, 
Para alegrar os abismos do espírito.
Para dar à meia-noite as cores de uma tarde quente,
Enquanto não cessa  o cortante hálito gelado do inverno."

E em meio aos sonhos me ocorre que talvez pulando no abismo das dúvidas meu corpo finalmente pode "optar por cair pra cima"... Sempre se pode flutuar ou criar asas e improvavelmente no "por entre as nuvens" encontrar qualquer coisa de memorável "sentada no teto do mundo".

Talvez Ray Bradbury esteja certo ao aconselhar:

"Vá até a beira do abismo e pule.
Construa suas asas na descida."

_______________

P.S.: Obrigada a @Sybylla_ do Momentum Saga por ter cedido a imagem. Mas de boas citações podem ser encontradas na fan page do Momentum: https://www.facebook.com/Momentum.Saga

Obrigada também ao Sahge (Luiz Carlos) por ter cedido os versos de "Dente de Leão no Vento" que foram utilizados no texto. Mais dos textos dele no => "Psicodellias"

13 comentários:

  1. QUE LINDO! BELEZA DE INDAGAÇÕES, QUESTIONAMENTOS QUE NOS FAZEM A NÓS TAMBÉM PENSAR, REFLETIR! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Olá Pandora, a frase abaixo é assustadora, mas é assim que funciona... ;-)

    "Vá até a beira do abismo e pule. Construa suas asas na descida."

    Abração
    Jan

    ResponderExcluir
  3. acho q o fato de sermos muito diferentes uns dos outros, acentua essa sensação de não pertencimento. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  4. UAU!!!
    Um texto fantástico.
    Me senti inclinada a saltar e enfrentar as rajadas de vento....
    Bjs.:
    Sil

    ResponderExcluir
  5. Pior é que é Pandora. A gente só aprende a viver vivendo. Eu às vezes me afasto para repensar a vida, mas ela só melhora quando me insiro no mundo de novo. Quanto as duvidas, sim elas nunca me deixam ter certeza de nada. Mal eu construo uma ideologia e lá vem a vida destrui-la outra vez. Fico sentido como se estivesse sempre tentando construir minha casa, mas a todo instante percebendo que há problemas nos alicerces.

    ResponderExcluir
  6. Sabe que até sábado eu achava que tinha certeza de um monte de coisas e domingo acordei cheia de duvidas e com a unica certeza que ainda não sei de nada....

    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Achei esse post lindo e poético. Porém ainda estou ponderando sobre ele e sobre o assunto - nós geminianas, tendemos a pensar demais, né? Vou voltar aqui e dar meu parecer - porque eu sei que você deve estar louca de vontade de saber minha opinião hahahahahaha, mas mesmo assim, quero voltar e deixar um comentário apropriado.

    Beijão!!!

    ResponderExcluir
  8. Todos temos a dúvida da certeza que em diversos momentos transforma-se de dúvida para certeza para logo depois voltar a dúvida. É complicado e essa dúvida/certeza nos acompanha por toda a nossa vida em diversas fases da vida, do momento.

    Gostei do post, bom para refletir

    Até mais

    ResponderExcluir
  9. Texto muito bem escrito e que expõe toda a sua alma. Para mim a dúvida e a incerteza, irmãs siamesas que são, tem uma grande missão: me levar adiante, em busca do novo e daquilo que ainda não conheço. São elas que me fazem sair à busca de um novo aprendizado e me dão a falsa ilusão de que ainda sou jovem e que ainda tenho muito o que fazer.

    ResponderExcluir
  10. Por textos maravilhosos como esse que estarei acompanhando sempre teu blog, menina. Também por uma questão de identificação... apesar de ser adulta, acho muito difícil determinar um rumo certo e inclusive já me inspirei com versos que mencionam asas... acho que no fim das contas, através da poesia e de outros olhares, tentamos encontrar um pouco mais de nós mesmos, encaixar mais algumas peças e sentir que não estamos sós com nossas "maluquices", hehehe! Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Que texto maravilhoso! Lindos versos e ilustração, mas bem sei que essa angústia e incerteza se o vento vai te soprar de volta ( ou nos soprar ) não é nada agradável como uma brisa...
    Mas talvez esse seja o viver - também com seus abismos.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  12. Pandora, a Silvana indicou este seu texto e vim conferir, saio daqui pensando, como esta menina, tão jovem ainda, pensa firme e ao mesmo tempo poeticamente, revelando os dois lados fortemente - você é firme e romântica, por isso estas reflexões, esta forma de pensar que é uma reflexão profunda. Adorei!
    Tenha uma ótima semaninha e um beijo carioca

    ResponderExcluir
  13. Boa noite Pandora!!!
    Vindo através da dica da amiga Silvana.
    Lindo seu blog, seu texto nos faz refletir...
    Gostei de te conhecer...
    Tenha uma semana feliz e abençoada!!!
    Bjokas...da Bia!!!

    ResponderExcluir

Esse blog não representa um exercício de escrita, ele é um exercício de memória, de lembranças e esquecimentos. Funciona como uma caixa onde guardo coisas, sinta-se livre para comentar, mas saiba: comentários sem relação com o post serão excluídos por respeito a quem comenta de verdade.