domingo, 1 de dezembro de 2013

Sobre A Boneca...

Da minha infância não sobrou nem mesmo uma boneca para ficar de lembrança.

Os motivos são vários: 

1. Eu não era uma criança cuidadosa ou atenta, então quebrava, perdia e sofria pequenos furtos por parte de outras crianças e adultos também;
2. Tenho uma irmão mais novo assassino de bonecas, munido com um especial sexto sentido para descobri qual eu amava mais e torturar elas até a morte prematura, dolorosa e traumatizante;
3. Tenho uma irmã sete anos mais jovem que herdou por força de seu gênio as bichinhas sobreviventes;
4. Por fim, meu pai teve uma época na qual deixava o cachorro maltratar meus brinquedos quando estava embriagado, ele tinha uma implicância especialmente irritante por tudo o que era presente de um dos meus tios.

Enfim, de uns tempos para cá passei a sentir falta de ter uma boneca e entrei em uma busca por uma boneca de pano para me fazer companhia. Devo ter comentado algo sobre isso com a Aleska quando estivermos em São Paulo ou em alguma das nossas conversas sem fim via celular ou face e ela me matou e me ressuscitou de alegria ao me enviar direto do Rio de Janeiro uma linda boneca negra como o ébano, de vestido vermelho como a gota do meu sangue e lacinhos e babados brancos como a mais pura neve.


Ainda estou encantada com ela que a partir de hoje mora comigo no meu quarto, dorme comigo na minha cama e é minha filhinha fofa. O nome dela é Abena em homenagem a Princesa Abena do livro "O casamento da princesa" escrito por Celso Sisto e ilustrado por Simone Matias.


Claro que eu não poderia deixar de registrar esse episódio nesse blog logo em um fim de noite de domingo, afinal agora toda segunda-feira eu vou poder imitar o rabugento do Garfield.


Obrigada Aleska por tudo e também por isso!!!

13 comentários:

  1. Que linda tua boneca nova, presente da amiga Aleska! Valeu,né e teu quarto tem nova parceirinha! beijos às tres,rs...chica

    ResponderExcluir
  2. kkkk disponha! Minha vó tb tinha ciúme dos meus brinquedos que não tinham sido dados por alguém da família. Foi assim que ela deu sumiço na minha boneca de pano Yorozel. Foi uma amiga da minha mãe que me deu. Na época que eu não tinha amigas (eu podia brincar com meninos, mas nunca gostei de policia e ladrão, futebol, jogos- no máximo dominó- e essas coisas que os meninos gostam) e meu irmão odiava brincar de casinha, eu ficava sozinha a maior parte do tempo, mas quando veio a Yorozel (que era de pano e maior que eu) eu ficava com ela o tempo todo e não sentia tanto a solidão. Eu acho q vc falou isso antes ou depois de SP pq lembro q vc me mandou um link com a foto de uma bonequinha dessas. Fico muito feliz que vc tenha amado meu presente, pq é mt dificil acertar o que os outros querem e vê-los darem valor ao que vc deu de coração. Um beijo e aproveite que sua irmã não vai querer herdar rsss.

    ResponderExcluir
  3. Aii que fofa! Quem nunca sonhou me ter uma boneca de pano,né? Ainda compro uma para euzinha também.
    Beijos!
    Paloma Viricio-Jornalismo na Alma.

    ResponderExcluir
  4. Ah que linda! E que gesto lindo! :)

    bjs
    DI

    ResponderExcluir
  5. Own, que história linda!!! É tão legal ganhar presentes especiais assim! Eu tenho apenas uma bonequinha de pano que ganhei quando meu namorado foi para Maceió, mas é mais um artigo de "coleção regional", porque eu sou uma pessoa que, mesmo com alergia, prefere agarrar pelúcias. A última boneca que me lembro foi um bebezinho vestido com o uniforme do Corinthians que ganhei da minha tia hehehehehe Lamento até hoje não saber o que aconteceu com ele.

    Eu não era muito de bonecas, eu nunca tive essa coisa de lado materno, então eu brincava mais de Barbie. As minhas bonecas mesmo eram maltratadas porque eu gostava de pintá-las no rosto, fazer o cabelo, jogar na água hahahahahahaha eu e minha delicadeza de rinoceronte...

    ResponderExcluir
  6. Que presente mais original! Uma amiga atenta a um comentário. Incrível a Aleska!
    Gostei do nome que você deu, mesmo não conhecendo a história da princesa.
    Também sinto falta das bonecas que tive e num ímpeto de adultês e liberdade me livrei de todas elas... Arrependimento.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Eu amo bonecas de pano, minha ambição é fazer uma, sei costurar um pouco, só falta mesmo comprar o material e arriscar.
    Estava com saudade disso aqui, quase dois meses longe da blogosfera, muito triste.

    ResponderExcluir
  8. Divirta-se com sua boneca, adoro bonecas de pano´e a sua é linda!
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  9. Linda boneca, Pandora. E sendo presente de uma amiga melhor ainda. ;)
    Ela se parece muito com uma que eu tinha quando era pequena. Ah, eu também era meio destruidora rsrs.
    Fiquei curiosa para saber mais sobre esse livro.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Pandora!!
    A Aleska é uma graça e a Abena também!! Agora você tem uma companheira de quarto e uma linda lembrança da amiga! :)
    Eu tenho um coelhinho e durmo abraçada com ele porque ele não ronca, não faz barulho para dormir e é uma fofurinha!! :D Te chamei no facebook para você ver ele!
    Não guardei minhas bonecas porque mudei muito e as que sobraram dei para a minha sobrinha mais nova. Agora fiquei com saudades!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  11. Amei a boneca
    Sempre quis ter uma assim

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Ahhhhh! Mas isso faz uma segunda-feira feliz ;) simpatizei com ela, merece mesmo um abraço. Eu também não tenho nada da infância, tudo foi,para meu desespero, dilapidado por meu irmão caçula, ficaram apenas as lembranças, que são muito boas ;) mas bem que queria uma ou duas coisas daqueles tempos...

    Dois abraços ;)

    ResponderExcluir
  13. Que doce presente você recebeu. E eu espero que suas noites sejam de sonos serenos porque ultimamente você tem ficado acordada até tarde (o horário de suas visitas comprovam isto). Um abraço.

    ResponderExcluir

Esse blog não representa um exercício de escrita, ele é um exercício de memória, de lembranças e esquecimentos. Funciona como uma caixa onde guardo coisas, sinta-se livre para comentar, mas saiba: comentários sem relação com o post serão excluídos por respeito a quem comenta de verdade.