terça-feira, 3 de abril de 2012

Algo novo no ar: sobre Solano Trindade...


Solano Trindade foi um poeta recifence, todos que falam sobre ele acham muito importante dizer que ele era negro, nasceu no em 24 de julho de 1908 no inicio do século XX no bairro de São José, viveu também em Minas Gerais e no Rio Grande do Sul. Além de poeta, foi pintor, teatrólogo, ator, folclorista, marxista...


Para mim o interessante de Solano é que se a gente fizer as contas e forçar a memória vai perceber o fato de que a escravidão ter chegado ao fim em 1888, logo em 1908 a memória dessa condição social era recente. Solano viveu uma época na qual homens e mulheres pobres e de cor (das diversas cores) viviam expostos a uma fragilidade social latente.

Fazendo as contas mais uma vez, perceberemos que Solano viveu sua juventude durante a época do Estado Novo, um período no qual os livros de História, em especial os didáticos, falam de um período de prosperidade econômica alavancado pelo Estado Novo, não é bem isso que a poesia de Solano registra, não é bem isso que se vivia nos subúrbios das grandes cidades brasileiras.

Eu sou fã da poesia de Solano Trindade por diversos motivos, mas o mais latente é porque ela me lembra que nós não precisamos ser vitimas de situações adversas. Nós podemos ser guerreiros, nós podemos lutar, por a boca no mundo, fazer algo.

Reza a lenda, ou assim ela me foi contada, esse poeta, nasceu pobre, além de negro, em um local no qual a escravidão foi um realidade latente, mas Solano não usa sua pena para lamentar e sim para lutar por um mundo melhor para homens e mulheres de todas as cores. Em sua poesia Solano denunciava que, a parte o mundo cor de rosa da propaganda do Estado Novo, havia gente com fome em trens sujos na Leopoldina, lançou um novo olhar sobre a história dos negros no Brasil equiparando o Quilombo dos Palmares as histórias de Homero e aos Lusíadas, ajudou a transforma Zumbi em herói da resistência negra.

A proposito, sobre o titulo do post, no qual eu falo sobre algo novo, já há alguns anos eu pesquiso sobre esse tipo de literatura engajada, produzida por homens e mulheres de cor, mas hoje pesquisando um pouco mais sobre Solano para produzir material para um nova empreitada pedagógica, descobri coisas lindas produzidas a partir de sua poesia circulando pela net, isso não estava aqui há três anos atrás.


Eu amei o que encontrei, então trago para minha Caixa com a esperança renovada na possibilidade de construir um mundo mais justo, no qual a renda seja melhor distribuída e não haja miséria espalhada entre milhares de homens e mulheres de todas as cores...





10 comentários:

  1. Linda exposição. Eu também tento melhorar o mundo na blogosfera. Eu queria que o folhetim utopia virasse jornal de verdade, mas faltou um pouco de auxilio e teve algumas complicações porque eu não queria escolher um público, queria que quem lesse tivesse qualquer idade ou condição social, mas pra botar no papel teria que restringir meus leitores, e eu não queria isso.

    ResponderExcluir
  2. amei F da P e Musa Creoula.*_* me fez lembrar "Como eu te quero" de Black Alien. Um dia qdo achar o amor da minha ida ostaria que fosse do jeito que ele escreve.

    ResponderExcluir
  3. Admito minha ignorância, não conhecia nem tinha ouvido falar em Solano Trindade. Sua história de vida me fez lembrar um pouco a de Machado de Assis, que também era negro e pertencia a classe dos menos favorecidos.
    Gostei da postura dele, de não se vitimizar e tentar lutar por algo diferente, infelizmente, nos dias atuais, pessoas não revolucionam com mais nada na literatura, ou muito pouco. Agora tudo é somente fantasia, parece que nossa geração não tem mais nada para lutar, quando em verdade, tem muito ainda, apenas prefere não enxergar.
    Lamentável.
    Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
  4. É preciso sempre se valorizar autores nacionais, ainda mais aqueles que realmente tem algo a dizer. Eu tenho lá as minhas dificuldades com poesia, mas é ingável a beleza de seus versos.

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia Solano Trindade, nem de nome, mas o que conheci sobre ele hoje através de seu post me fez admirá-lo e a querer procurar suas obras. Gosto disso, gosto de pessoas que despertam isso: "...nós não precisamos ser vitimas de situações adversas. Nós podemos ser guerreiros, nós podemos lutar, por a boca no mundo, fazer algo."

    Sempre há uma maneira de lutar, de fazer a diferença, de fazer diferente, de mudar, de melhorar algo. E por que não fazemos? Façamos, tão logo for possível!

    Belo post, Pand. Disseminando conhecimento! ;)

    ResponderExcluir
  6. Prometo responder todos os seus comentários, assim que o feriado chegar! :)

    ResponderExcluir
  7. OLÁ, querida
    Estive ausente pela Quaresma...

    "Renovar
    Perdoar
    Esquecer
    Corações aquecer!!!"
    (Orvalho do Céu)

    Páscoa é:


    "Coragem é a resistência ao medo,
    domínio do medo,
    e não a ausência do medo."
    (Mark Twain )

    SAIR DO PRÓPRIO TÚMULO

    Jesus libertou-me... enviou-me anjos para me soltar das amarras que me prendiam...

    Apóstolo Pedro: “precisamos dar razões que justifiquem a nossa Esperança” (1Ps 3,15).

    FELIZ PÁSCOA PARA TODOS NÓS!!!

    Abraços fraternos de paz

    ResponderExcluir
  8. Pronto, super bem feito seu post. Não conhecia esse poeta, mas acho que a introdução que fez dele me fez entender melhor sua poesia. Gostei do poema da gravata colorida e tem gente com fome, me dá a impressão de que ele queria que a gente lesse no mesmo ritmo do trem. Tenta, é bem interessante.

    Agora, respondendo o comentário no blog:

    Compre um dicionario de inglês, e pegue um livro bem pequeno todo em inglês, tenho certeza que conhece algumas palavras, dobre uma folha ao meio, de forma que pareça uma régua, e liste todas as palavras que não conhece, dai olha no dicionário e anote o sgnificado na folha e releia o livro/capitulo novamente. Dai, tu vai além de entender o que está escrito reparar que a palavra vai aparecer novamente, dai se tu não lembrar, tem a régua para ajudar ( que uso como marcador). Foi assim que comecei a ler em inglês. Passei de um livro pequeno do Edgar Allan Poe para outro maior e quando vi, já lia muito bem em inglês! :)

    A série do diario da princesa é bom para qualquer idade, aproveita que tá saindo por uns 15 reais no submarino e vai montando a coleção. Vale a pena!

    A droga da Obediência é meu livro favorito do PB! Até hoje cito frases de lá ( e fazer uma citação de cabeça de um livro é muito complicado para uma desmemoriada como eu!) Não tenha preguiça e se apaixone pelo os Karas!

    É isso, não me senti obrigada a ler seu blog não flor, tenho prazer em ler, o problema é que as vezes não tenho tempo de comentar no blog das pessoa que leem no meu e fico mal por isso. Gosto de conhecer quem le meu blog. :)

    ResponderExcluir
  9. Pandora, deixei dois comments aqui, mas nenhum deles apareceu. Gostaria se saber se você os recebeu, pois o blogger tem aprontado algumas comigo e pode ser que eu não esteja conseguindo postar alguns comentarios, sem saber.

    um beijo, e obrigada.

    ResponderExcluir
  10. Não sou muito de poesia, não que eu não goste, acho que é só falta de hábito mesmo, tenho que corrigir isso...
    Beijo

    ResponderExcluir

Esse blog não representa um exercício de escrita, ele é um exercício de memória, de lembranças e esquecimentos. Funciona como uma caixa onde guardo coisas, sinta-se livre para comentar, mas saiba: comentários sem relação com o post serão excluídos por respeito a quem comenta de verdade.

Web Statistics