sábado, 1 de janeiro de 2011

1º de Janeiro: aventuras familiares, uma pérola do meu pai e constatações óbvias.

Pois é, meu pai me venceu não pelo braço e sim pela chantagem emocional e no final das contas lá fui eu para a bendita reuniãozinha familiar de 1º de Janeiro!

Quando estava no melhor do meu sono, curtinho meu travesseiro e o ventilador novo turbo e silencioso (um item de suma importância no verão nordestino) deu a hora de partir, 4:00 da manhã e lá fomos nós ao encontro da família dos agrodontes.

E quer saber? A parte tudo o encontro foi ótimo, chegamos super cedo no sítio dos meus tios em Goiana, uma cidade que fica a 60 kilometros do Recife, o percurso foi super rápido, meu pai dirige com precisão e ainda deu a meu irmão o privilegio de dirigir o carro \o/

De Goiana nós partimos para Praia Bela, na Paraíba, ou seja, fizemos uma pequena viajem em família, todo mundo deixou os carros no sítio da minha tia e pegamos os dois ônibus dos meus primos... Ah, minha família tem muitos motoristas e todos são excelentes mecânicos também... Ah [2], só que o povo aqui não compra carro novo não táh, eles compram velhos e vão reformando aos poucos, cutucando aqui e acolá... Aff... Ah[3], o interessante do sítio do meu tio é que ele é resultado de uma assentamento do Movimento Sem Terra, meu tio integrou esse movimento, viveu anos em um acampamento e conseguiu seu pedaço de terra.

Para todos os efeitos, foi um dia ótimo, Praia Bela é linda, o mar é um pouco selvagem e atritoso, a paisagem é de encher os olhos, de emocionar quem chega. Um lugar ótimo para quem gosta de surfar eu posso garantir.

Foto do celular da minha irmã.

Reencontrei com algumas de minhas primas que não via a muito tempo e praticamente redescobri elas. As meninas são lindas, maduras, centradas, educadas, divertidas... Uma tem 16 e outra 17, mas brincam como crianças de 10 anos... Não tem as neuras que enfrento, por exemplo, com minhas adolescentes na Igreja, são velhas, experimentadas pela vida, endurecidas no osso e na carne, mas não na disposição para se divertir... Eu me divertir muito com elas, me reconheci nelas, me peguei dando gargalhadas enquanto pulavas ondas e corria atrás das meninas para depois ver elas correndo atrás de mim...

Aliás, falando em criança, tem a Pérola de painho que não poderia faltar de forma alguma nessa manhã ensolarada, pq hoje eu tive a prova final que meu pai jura que eu tenho quatro anos... Até aqui eu tinha lá minhas dúvidas, minhas suspeitas, mas, pensava eu de mim para comigo: "Não, o trabalho remunerado, a formatura na faculdade, o fato de que não peço mais dinheiro para a pipoca evidenciam que eu não tenho 4 anos! Ele sabe que não tenho quatro anos!".  

Porém os fatos comprovaram: "Para a leitura desses sinais meu pai é analfabeto!"

Lá estava eu com minhas primas curtindo as ondas e vejo eu meu pai correndo em minha direção com aquele ar apavorado, "Pronto, tem um tubarão atrás de mim!" pensei eu néh... "O que foi painho?". Ele responde: "Minha filha, esse mar tá violento, vá brincar alí naquele cantinho!"... Aquele cantinho  é justamente aquele lugar da praia onde as crianças pequenas ficam com aquelas bóias enormes e coloridas prá lá e prá cá com as mães sentadas na água olhando elas... É, está comprovado empiricamente: ele pensa que tenho quatro anos.

E sim, as constatações óbvias: não é tão ruim afinal me reunir com minha família; não da para escapar do lado chato da reunião mesmo se vc estiver de cara amarrada; o tempo passou sobre todos nós; meus tios e tias possuem cabelos brancos agora; eu não sou mais criança ou adolescente;  eu ganhei o direito de falar e ser ouvida; no frigir dos ovos eu sou tão ogrodonte quanto todos eles; as vezes magoamos uns aos outros; e sim somos uma família que compartilha da mesma carne dura e do mesmo osso sólido capaz de suportar e vencer situações difíceis e ainda assim ter bom humor suficiente para se reunir no dia 1º para uma fabulosa farofada em uma praia para turista ver.

16 comentários:

  1. que linda foto! a praia é linda, uma delícia ver a foto, pq aqui tá frio rs.
    achei muito bacana sua reflexão! coisa rara hoje em dia, porque todo mundo sabe apontar o dedo, mas não olha para si. achei que vc foi humilde (não gosto dessa palavra, mas uso-a no bom sentido). e talvez vc não seja uma ogrodonte, mas sim uma pessoa mais sensata que não gosta é de hipocrisia, sentimentos vazios, etc.

    um feliz 2011 pra vc! bjs

    ResponderExcluir
  2. Ai amiga me deliciei nessas suas constatações..

    eu ando meio ranzinza tambm fui no natal meio sem querer ir mas no fim deu tudo certo foi bom valeu a pena...

    e que horizonte é esse??? que vista linda...

    achei um maximo o susto...
    rsrs "Pronto, tem um tubarão atrás de mim!"
    kkkkkkk esses cuidados são tudo de bom amiga, nos faz um cadquinho melhor né, nos faz perceber a importancia que temos ai dá uma vontadizinha a mais de viver...

    bjO Querida e até sempre....

    ResponderExcluir
  3. Kkkkkkkkkkkk
    Pais são assim mesmo.

    "família ê, família ah, família!

    ResponderExcluir
  4. kkkkkkkkkkkk
    Ri muito aqui....
    Meu pai é do mesmo jeito... aí, eu digo " Pai eu tenho 22 anos , tô bem crescidinha..."
    ele sempre diz: Só por fora, vai e me abedece"
    shauhsuahsuhas

    Como são lindos....

    beijos querida
    que 2011 seja doce pra ti!

    ResponderExcluir
  5. É mais comum ser assim: o pai é mais apegado na filha, e a mãe mais ligado no filho. Para nossos pais, somos eternas crianças. rs

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. É... eu ando de saco cheio dessas reuniões... e no tal ano novo precisei do auxílio do alcool pra poder suportar. Pelo menos a sua reunião não doeu muito.

    BeijoZZz

    ResponderExcluir
  7. Olá querida passando para lhe dizer:
    "Que o novo ano que se inicia, possamos viver intensamente
    cada momento com muita paz e esperança, pois a vida é
    uma dádiva e cada instante é uma benção de Deus."

    Feliz Ano Novo a vc e sua familia. Beijos

    ResponderExcluir
  8. Acho que o ditado "ruim com ela pior sem ela" resume tudo sobre algumas partes da família. Talvez justamente porque não escolhemos os familiares, sempre há alguma tia chata ou alguma prima que não gostamos, mas pode ser que o destino tenha feito desta forma para exercitar a nossa tolerância e a capacidade de ver lado bom das pessoas. Excelente você ter "redescoberto" suas primas, é por aí a essência do ter família. Finalizando, o melhor de tudo , é que sempre podemos contar com eles, pois, como fizem aqui na Grécia, "o sangue não vira água"!
    Bj
    Adri

    ResponderExcluir
  9. Ah, Pandora, que coisa boa de ler, esse texto!
    A família é tudo mesmo! Feliz àquele que sabe valorizar esse tesouro..
    Vivi cada cena descrita, me deliciando, pois me faz lembrar de minha infância a beira mar..

    Querida, vc foi muito generosa com o seu comentário em meu blog! Temos uma sensibilidade bem parecida, eu tb tenho 4 anos lá dentro em algum lugarzinho bem guardado ^^

    Deixo meu abraço de feliz ano novo, que seja o melhor ano de nossas vidas!

    Bjs!
    Ester.~

    ResponderExcluir
  10. Eu vivi isso também, afinal sou de uma família muito grande. E cheguei a pensar que eu seria muitíssimo diferente. Hoje eu chego a cantar a música de Belchior na maioria dos casos " apesar de termos feito tudo o que fizemos, ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais." rsrs. Abração. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  11. Jaci, adorei seu relatos. como você sabe eu gosto de viagens meio roubadas, rs... quando é com família então...
    Perdi meu pai há três anos, uma vez briguei com ele, pois ele me dizia que eu podia fazer determinada coisa e eu dizia:"Pai, eu tenho 52 anos e já sou avó" e ele: "Pois então é muito mais moça que eu", rs
    Pai se recusa a ver que os filhos cresceram, sempre nos olha como se tivessemos no máximo 10 anos.
    bjs
    Jussara
    Feliz 2011!

    ResponderExcluir
  12. Oi,Pandora!Td bem?Obrigada pelo comentário.acho que todo mundo tem um pouco de Marina, por isso ela tem ganhado vários fãs, dia após dia,mas fique tranquila que eu não deixo isso subir a cabeça dela,hihih.Mas ela sonha em um dia virar livro,essa menina é bem ambiciosa.
    Ai uqerida eu amo reuniões de família, pena que mniha família é mega desunida, hum seu pai acha que tu tem 4 anos de idade, acho que todos os pais do mundo são assim ou quase todos.
    Uma ótima semana!
    Beijosss

    ResponderExcluir
  13. Contos de família tem sempre histórias interessantes ou engraçadas.
    Feliz 2011!

    ResponderExcluir
  14. Se quiser alguma ajuda quando falar sobre os gregos conte comigo!
    Bj
    Adri

    ResponderExcluir
  15. Confesso que não li seu post, mas farei isso em breve, vim aqui para comentar o seu comentario lá no meu blog: eu vi que vc se identificou bastante com o tema e fiquei empolgada com o tamanho do comentario. Vc se interessaria em fazer uma postagem coletiva sobre "deficiencia fisica"? se vc conhecer pessoas deficientes que tenham blogs comunica essa ideia com eles pra que possamos trocar idéia sobre o assunto beijos!

    ResponderExcluir
  16. Família, amigos, reencontros e novos encontros. Tudo de bom!
    Ah, se você é bem chegada? Claro que sim e também foi bem aceita.
    Beijos.

    ResponderExcluir